SÊ BEM-VINDO ! SÊ BEM-VINDA ! YOU ARE WELCOME !

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Limpar o estêncil #3




Uma das razões para o estêncil ser limpo após o uso tem a ver com a sua conservação, porque o excesso de tinta que sobra vai-se acumulando e as áreas vazadas vão-se fechando, os buraquinhos mais detalhados podem mesmo entupir-se completamente. Seja como for, mesmo com limpezas constantes esses detalhes vazados acabarão por fechar-se no caso dos estênceis usados continuamente. A limpeza retardará esse problema, mas em qualquer momento a manutenção pode incluir o uso meticuloso do x-ato (estilete) para cortar os excessos que bloqueiam as zonas vazadas. Atenção que essa é uma tarefa que pode levar muitas horas.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Dimensões inesperadas


falámos antes na qualidade ímpar do jornal Le Monde Diplomatique que temos a sorte de poder ler numa versão portuguesa. Na edição deste mês de Maio, foi publicado um interessantíssimo artigo que constitui um contributo importante para a reflexão em torno da Street Art e do Graffiti, deste movimento artístico que já é mundialmente caracterizador do novo milénio. O texto é da autoria do designer urbano Pedro Soares Neves, um estudioso que já foi referenciado mais do que uma vez neste blog.


Transcrevemos de seguida o primeiro parágrafo do artigo:


«Será legítimo apelidar de street art uma exposição que tem lugar numa galeria de arte contemporânea? Não é a street art algo que necessariamente ocorre na rua (street) e se distingue da arte pública por não ser encomendada, por ser informal, e até por vezes ilegal? A «exposição de street art, Além Paredes» patente na Galeria de Arte Contemporânea António Prates, em Lisboa, lança várias questões, que se por um lado não são novas, por outro lado têm dimensões inesperadas.»

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Luta de classes



«There’s class warfare, all right, but it’s my class, the rich class, that’s making war, and we’re winning.»
Warren Buffett (american billionaire who is often in the list of the top 10 wealthiest men in the world)

«A luta de classes existe, mas é a minha classe, a classe dominante, que está a gerar a guerra e nós estamos a ganhá-la.»
Warren Buffett (bilionário norte-americano frequentemente apontado como um dos 10 homens mais ricos do mundo)


domingo, 27 de maio de 2012

Ranholas (revisited)


Finalmente, após seis meses, hoje à tarde conseguimos novas fotografias (agora à luz do dia) deste spot no fim do IC-19, à entrada de Ranholas. Nunca mais lá havíamos voltado com uma câmera fotográfica nas mãos.


After six months we finally were there today an took other pictures from this spot, at Ranholas, in the end of IC-19 road.

sábado, 26 de maio de 2012

Post-graffiti


«Streaks of social critique and a drive toward artistic innovation could be seen even in the classic forms of graffiti, along with the key hedonistic theme of "getting famous". This conceptual impulse has increased along with the more prominent street art movement, also known as post-graffiti, in the last few years.»


Robert Klanten and Sven Ehmann

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Democracia espontânea


A Arte Urbana livre e espontânea põe em causa a Arte pública e institucional, a propriedade, a noção de território urbano e a configuração encomendada da cidade. A grande vantagem destas manifestações é que podem ser realizadas por qualquer pessoa, qualquer anónimo pode comunicar com outros anónimos e contribuir assim para a construção do pensamento coletivo. É realmente democrática. É isso que assusta quem a quer proibir. A democracia está na essência da Street Art.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

A Arte do futuro


«Na Universidade de Nanterre onde Maio 68 começou, as paredes eram grandes murais cobertos de imagens fortes e subversivas onde o poeta Rimbaud tinha destaque. Keith Haring um dos artistas americanos mais famosos da sua geração associou-se a este movimento. O italiano Mimmo Rotella, por sua vez trouxe as colagens rasgadas das ruas para a história de arte. É um privilégio presenciar e sobretudo interrogar e estudar estas vagas de fundo que vão compondo novas paisagens mentais e estruturando a arte do futuro. A relação entre a estética e o quotidiano, o diluir das fronteiras tradicionais entre ambos, está certamente no centro deste teatro que é a nossa civilização contemporânea e também no espectacular palco desta Galeria, onde onze jovens colocam hoje a sua assinatura no tempo fugaz e no espaço em constante metamorfose.»

Maria João Fernandes (A.I.C.A. Associação Internacional de Críticos de Arte) 

quarta-feira, 23 de maio de 2012

A Revolução do Olhar






Além Paredes (Beyond the Walls), Street Art exhibition at Contemporary Art Gallery Antonio Prates has been extended until Saturday 26th May.

Na Galeria António Prates, que se tem empenhado na apresentação e divulgação das vanguardas internacionais, em simultâneo com a exposição de Street Art, Além Paredes, decorreu ontem 22 de Maio de 2012, terça-feira (das 17h às 20h) um encontro/mesa redonda. 


A coordenação foi da crítica de arte MARIA JOÃO FERNANDES - A.I.C.A. ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE CRÍTICOS DE ARTE, CRÍTICA DE ARTE POETA 


e contou ainda com as ilustres participações de 

EMÍLIA NADAL - PINTORA, PRESIDENTE DA SOCIEDADE NACIONAL DE BELAS ARTES DE LISBOA,

PEDRO SOARES NEVES -  DESENHADOR URBANO, PRESIDENTE DA APAURB (Associação Portuguesa de Arte Urbana)

RICARDO CAMPOS - PROFESSOR E ARTISTA

MIGUEL MOORE - JORNALISTA E CRÍTICO DA STREET ART


A exposição permanece até ao próximo Sábado dia 26. 



segunda-feira, 21 de maio de 2012

Restauro



Há paredes nas quais intervimos tantas vezes que elas se tornam nossas amigas. A estima que lhes reservamos motiva uma manutenção atenta. Esta, no centro de Cascais, é mostrada acima, antes e depois da mais recente repintura.


There are walls that we have painted several times. After some interventions, those walls and us become friends. We fell love and take care of them like friends do. This one, in Cascais downtown, have just received new paint. Above we can see it before and after the recuperation.

domingo, 20 de maio de 2012

Hope and Optimism



« I see your art as very political in a beautiful way with hope and optimism. The vibrant happy gorgeous colors you choose and some of the symbolism such as hearts, stars, rainbows, ice cream and most importantly the birds (which to me represent freedom) convey cheerful confidence. The bird is never caught and always seems to be flying away. The pacman looking guy (i'm sure you have heard that before) with his hungry mouth and sharp teeth conveys a message of greed representing all different messed up situations in our world. This character could be a single person or a country or a corporation etc. He loves to stand on Euros and tanks and drop bombs. I remember the first time I saw your street art around the corner about 4 years ago and immediately thought to myself that greedy pacman is wearing a monopoly top hat. Ironic or maybe on purpose?? Do you know of the game Monopoly? Rich get richer and poor get poorer until someone wins and the others lose completely. »


Jennifer McCulloch (a very dear friend)

sábado, 19 de maio de 2012

Do Desenho


A inteligência é o ponto de partida para a invenção do sensível, que encontra no Desenho a materialização do que até ali era invisível. De fato, antes mesmo da Pintura existe o Desenho e é por meio dele que um Artista apresenta ao mundo as imagens interiores do seu pensamento. É fundamental e incontornável o domínio pleno do Desenho enquanto técnica e disciplina.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Costah pasting





Hoje prestamos homenagem ao nosso amigo e GRANDE ARTISTA Costah!
O seu mais recente video já está online:

http://www.youtube.com/watch?v=rPIAiSUZ034&feature=youtu.be


Today we pay a tribute to our friend and GREAT ARTIST Costah!
His most recent video is already online:
http://www.youtube.com/watch?v=rPIAiSUZ034&feature=youtu.be

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Rufia e Dalaiama na Guia (Cascais)



Ainda tinta fresca, a mais recente produção Rufia-Dalaiama: «por mais flores que esmaguem nunca irão parar a primavera» + geladinhos para o verão ;)


Rufia and Dalaiama painted together yesterday.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Back to Portugal


Regressando a Portugal e já pintando! A vida é finita, todos os dias são únicos, há que aproveitá-los! Deixamos aqui uma pequena intervenção em Cascais há 45 minutos.


As soon as we arrived in Portugal, not worried about jet lag, we came back to Street Art. This painting was done 45 minutes ago.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Autocolando no Brasil







Registos de algumas das últimas colagens por terras brasileiras ;)
Some of the last sticking sessions in Brazil ;)

domingo, 13 de maio de 2012

Euros e pássaros por quê? (parte 4)


Já referimos antes que quem nos pergunta sobre o significado da nossa iconografia, pode confirmar que ouve como resposta a mesma pergunta: «o que é que tu vês no nosso imaginário?» Vamos procurar, de  seguida, resumir as várias interpretações que nos têm chegado. Estamos sempre agradecidos a todos  aqueles que dedicam momentos do seu percurso de vida a conjeturar sobre as nossas intervenções.  Podiam não o fazer, podiam nem reparar e seguir em frente, mas observam e dão-se ao trabalho de  procurar dentro de si próprios as soluções para as suas interrogações. É um fenómeno que contemplamos  agradecidos. Muitas vezes apresentam-nos interpretações surpreendentes!


O pássaro tem múltiplas designações. Já houve quem o referenciasse como sendo um condor, ou até um ganso, mas o mais  comum é ser visto como uma pomba. Ou apenas e simplesmente «pássaro». O mais frequente é dizerem-nos  que ele é perseguido pelos dentes afiados da boca aberta, havendo mesmo quem faça questão de  sublinhar o fato de nunca ser apanhado. Para outros não há qualquer perseguição, simplesmente o pássaro tem origem na boca aberta, é projetado a partir dela, descrito até como tendo sido vomitado ou expulso. Há ainda quem tenha dito tratar-se de um  pássaro no seu primeiro impulso para o vôo, a sair da casca de um ovo, numa espécie de nascimento.


O personagem próximo ao pássaro é frequentemente chamado de pac ou pacman, cavalheiro elegante (gentleman), gangster, homem mau, monstro, patrão, homem de negócios, intelectual de esquerda, capitalista ou cangalheiro. Em cima da cabeça tem uma cartola, chapéu de cowboy, ou simplesmente chapéu. Todos reconhecem que usa gravata. O fato de não apresentar braços parece nunca ter suscitado comentários.


A presença do Dalaiama numa parede é quase sempre entendida como uma crítica à sociedade capitalista dividida em classes, exploradora do trabalhador, do ser humano reduzido à mercantilização, à mera  condição de produtor e consumidor de bens e serviços. Por outro lado, já houve quem visse nesses  desenhos um elogio ao capitalismo, uma espécie de elaboração festiva, de celebração da grandeza do  homem de negócios, gestor, empreendedor, criador de riqueza, que recolhe os frutos do seu trabalho  reinvestindo-os, fazendo, pois, uso da livre iniciativa, representada pelo vôo do pássaro.


Há quem espere de nós a afirmação intransigente de um único significado para a nossa iconografia, o que, na nossa opinião, é próprio de uma sociedade habituada à competição agressiva e à imposição de opiniões. Já manifestámos diversas vezes o modo como encaramos a nossa produção. Quanto às diferentes interpretações que as  pessoas cordialmente nos fazem chegar, haverá alguém capaz de dizer «este indivíduo pensa corretamente mas o outro está errado»? É nossa convicção de que todos estão certos. Todos têm o  direito de interpretar o mundo à sua maneira. O espaço público é por excelência o lugar dos cruzamentos, em respeito mútuo, das diferenças. Podemos dizer que vivemos em democracia se as trocas  entre os opostos acontecem pacificamente. Com respeito pelo outro, consideração e aceitação. É fácil assumirmo-nos democráticos quando esperamos que as pessoas concordem conosco. Mas isso até os ditadores fazem. No nosso entender, ser democrático passa por ver e ouvir o que é diferente de nós, respeitando-o, aceitando-o como é. As ideias não se impõem. E a Arte Urbana, no nosso ponto de vista, deve ser encarada, por parte dos seus autores, com responsabilidade e dedicação, mas também com  desprendimento. Trata-se de uma oferta à comunidade. Pertence a todos.


sábado, 12 de maio de 2012

Sucesso prolongado


Ao que parece, a exposição de Street Art na Galeria de Arte Contemporânea António Prates tem obtido um bom acolhimento por parte do público, de modo que será prolongada por mais uma ou duas semanas. São muitas as visitas e consta que até já recebeu grupos de estudantes em visitas de estudo. Obrigado a todos os que por lá têm passado.


The Street Art exhibition in Contemporary Art Gallery Antonio Prates was scheduled to end today, but due to its sucess it's been postponed for about one or two weeks. Actually, more people than usual is visiting the exhibition. Thanks everybody.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Audharya


A comunidade Hare Krishna pode ser encontrada por todo o mundo. O Brasil não é exceção. Por acaso cruzámo-nos três vezes com o Audharya, um dos seus membros, no populoso centro da cidade e, como as coincidências carregam significados ocultos, ficámos amigos. Quando atravessámos a rua, celebrámos a nossa última conversa com a colagem de três autocolantes. Abraço Audharya!

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Brasil refrescante!


Que legal!!! Apenas 2 reais uma garrafinha geladinha de refrigerante! Ôba! Dá pra escolher entre coca-cola, cola diet, guaraná, fanta laranja ou sprite! É isso aí cara! Valeu demais!

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Street Art In Situ


« In order to understand street art in situ, one must consider all the various elements that make up the work: not just the medium, surface, subject and setting, but also how the piece interacts with its environment (the media, architectural forms and signage that envelop it, for example, as well as local history or contemporary issues). The context is volatile and can be transformed repeatedly either through the artwork´s removal or through further additions to the space by other artists. As it is altered through additions, erasures and any other signs of performance, the site and the piece live and thus play a part in street art culture. »


Anna Waclawek

terça-feira, 8 de maio de 2012

Under Southern Hemisphere Sky


Outono no hemisfério norte, primavera no hemisfério sul, o mesmo Sol alimenta o mundo enquanto contemplamos a tarde na cidade maravilhosa.

Sticking in the southern hemisphere's Autumn.