SÊ BEM-VINDO ! SÊ BEM-VINDA ! YOU ARE WELCOME !

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Keeping The Punch


«I think memorials, monuments, and other publicly commissioned sculptures, for the most part, just sit there. It seems to me their purpose is to last and last, forcing the city with them into the past instead of the present or the future. I sometimes interface my pieces with these types of sculptures just to sort of rejuvenate them back to the present. Even work like George Segal's, which does a good job of interfacing with the surrounding environment, soon gets familiar and loses the punch it had at its unveiling.»

Mark Jenkins (street artist)

domingo, 29 de setembro de 2013

Direito de RESISTÊNCIA


« Artigo 21.º
Direito de resistência

Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública. »

Constituição da República Portuguesa

sábado, 28 de setembro de 2013

Antropologizzzando




"A arte de Dalaiama,  embora expresse o talento e virtuosismo de uma obra plástica urbana, condensa a força da intervenção, como se ali estivesse não apenas como forma de compor o espaço, de registro de uma tela, colagem, estêncil mas, fundamentalmente, como um tipo de virtuose da impertinência, da repetição de uma indignação, do eco dos que não se esquivam temerosos na concha do silêncio.
(...)
Por isso, eles artistas das ruas são raros, porque é necessário para essa feita, algo aparentemente simples, coragem."

Glória Diógenes (antropóloga, autora do blog Antropologizzzando)

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Damage ?


O nosso AMIGO John Oliveira descobriu, algures, uma parede "conspurcada" (como diria o ministro Miguel Macedo)! Já grande amigo de muitos anos, presenteou-nos com esta beldade, uma fotografia poderosa!!! Obrigado John!!! Abraços ;)

Our GREAT FRIEND JOHN, walking around, found this vandalized wall. He took this wonderful photograph and sent it as a beautiful gift to be shared with the world! Thanks Bro ;D

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

terça-feira, 24 de setembro de 2013

There Is No Neutral Public Space


"People believe that they live in a kind of neutral public space. What they don't realize is that what is neutral to them, may actually be excluding a LOT of people."

Susan Phillips

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Big Piece Almost Ready


Painting big walls can be such a hard work that it takes a long time to finish it properly. We need patience. This wall is worthy of such devotion.

domingo, 22 de setembro de 2013

Writer


«J'ecris pour effacer mon nom.»
«Eu escrevo para apagar o meu nome.»
«I write in order to erase my name.»

Georges Bataille

sábado, 21 de setembro de 2013

A Book Up Their Ass


“The thing about Twitter is that part of it is a really acceptable and accessible thing and part of it is just moronic − the ‘I went to this place and I ate that’. People are telling you their story, blow by fucking blow. Like that idea that everybody has a book in them. They don’t, everyone has a book up their ass. Everyone has a tweet in them, yeah, that’s more like it. Warhol was a genius, he was 40 years ahead of us all. Our generation and the generation below us are just in a constant state of self-promotion.” 

King ADZ

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Círculo cromático NBQpro


São boas estas latas NBQpro. Não pintam com muita pressão, talvez não se prestem bem ao bombing naqueles casos em que se espera cobrir grandes áreas em pouco tempo. Mas para um trabalho um pouco mais cuidadoso, proporciona ótimos resultados. Bons preços e belas cores no melhor fornecedor de Portugal (quem já encomendou sabe que é verdade). Ivan rocks!!!

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Tropa de Elite


Já falámos antes nos caps Super Skinny — branco/cinza: ótimos para detalhes e especialmente hábeis na execução de linhas finas e homogéneas. São soldados dedicados, mas entopem com facilidade. Sabendo que estão entre os nossos favoritos, convém ter por perto uma legião deles pronta para o combate, pois estes valentes guerreiros costumam tombar depressa no campo de batalha...
(Let them rest in peace and LONG LIVE GRAFFITI!)
;D


quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Graffiti: Some Cheat, Others Don’t


«All graffiti artist have the fear of being caught. If they don’t have it, they are not doing graffiti. Graffiti is illegal and savage before anything else. I try to protect myself to the maximum by being organized, rigorous, and have my eyes everywhere and on every detail. These are the same rules for graffiti all over the world. I am aware of the risks. Graffiti is illegal so any person who is a graffiti artist fears being caught up. Today, it is considered a crime and you can go in jail for it. It increases the fear but I have learned to live with it. Graffiti is a game, either you win or you lose – some cheat, others don’t.»

Kidult

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Vários rolos e sempre lavados


Convém lavar os rolos de tinta imediatamente após o uso. Se tal não for possível, procuremos mergulhá-los em água até à lavagem. Do contrário, a tinta seca e inutiliza-os. Seja como for, é conveniente possuir vários e com larguras diferenciadas. De preferência, cada tamanho deve incluir pelo menos dois rolos, podendo, assim, pelo menos um deles (ou mais) ficar de parte para suprir uma necessidade inesperada.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Políticas que agravam as desigualdades


"A fragilização da ação coletiva do mundo do trabalho, sobretudo dos sindicatos, a par da fragilização do Estado social de pendor universal e de alterações no sistema fiscal (que refletem, por exemplo, a continuada tendência para a redução da tributação dos lucros em sede de IRC, com o pretexto de atrair capital), representam uma fragilização da capacidade redistributiva do Estado e aumentarão as desigualdades socioeconómicas e a exclusão social, num país onde estas eram já elevadas. Hoje sabemos, por estudos empíricos detalhados, que os países mais desiguais têm maiores problemas sociais – menor mobilidade social, maiores taxas de pobreza infantil, menor confiança social e nas instituições, taxas de encarceramento mais elevadas, maior violência social e menor legitimidade das regras, elites mais corruptas, piores resultados escolares, maiores problemas de saúde pública ou maior percentagem da população empregada nas áreas da segurança. Os mecanismos são claros; a responsabilidade da fratura social que está a ser aberta também."

João Rodrigues

domingo, 15 de setembro de 2013

Austeritarismo: ideologia totalitária


"Parece o mais recente refrão, coro da tragédia, o que lhe queiram chamar: "não é por ideologia, é por necessidade". É esta a diferença entre as ideologias potencialmente totalitárias e as ideologias ancoradas na democracia. As segundas assumem que as escolhas que fazem são ideológicas e pressupõem que estão submetidas ao sufrágio e outras formas de aceitação popular. As primeiras fazem tudo para recusar a sua natureza ideológica e constroem a necessidade que querem impor, e não sufragar, como a única realidade possível. É justamente a esta construção político-ideológica da necessidade que se chama austeritarismo."

Sandra Monteiro

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Alemanha e EUA também não pagaram as suas dívidas


"A dívida não tem necessariamente de ser paga. Há cerca de duas centenas de exemplos de incumprimentos da dívida soberana por parte dos mais variados Estados, ao longo do último século, que incluem países como a Alemanha e os Estados Unidos. Não é um ato sem consequências, nomeadamente no acesso ao mercado de capitais nos anos seguintes. Mas a alternativa é pior. O Estado português gastou, só em juros sobre a dívida pública, cerca de €7 mil milhões, um montante equivalente ao orçamento da saúde."

Alexandre Abreu (professor de Economia no ISEG, doutorado pela Universidade de Londres e um dos autores do livro «A crise, a troika e as alternativas urgentes»)

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Hoje tal como no Fascismo (há portugueses que emigram, há outros que lucram com essa emigração)


"Nos anos 60, o Estado português e os seus grupos económicos resolveram viver também da exportação da força de trabalho, dando como alternativa a 1,5 milhão de pessoas – mais de 10% da população – a emigração: saiam, trabalhem como robôs na Renault, mandem para cá divisas. Divisas que entre outras coisas alimentaram a pujante economia de guerra, que levou ao colapso o orçamento público mas fez taxas de crescimento que brilhavam nos olhos de Champalimaud ou dos Mello, chegaram a ser de 10%! Não há nada na economia que diga que o colapso das contas públicas não possa viver lado a lado com a pujante riqueza de algumas contas privadas.

(...)

Já sabemos que a crise vem da transformação da crise privada em dívida pública. Antes do empréstimo do FMI, em 2008, a dívida era de cerca de 70% do PIB. Agora é de 130%. [Portanto cresceu, com as ajudas à Banca e depois com o próprio empréstimo.] O resgaste virou assim um sequestro. Entretanto, por juros da dívida, parcerias público-privadas e mercantilização do Estado social, os trabalhadores reformados foram expropriados do seu salário e pensão, enquanto algumas empresas (Mota Engil, EDP, Portucel, Grupo Mello, entre outras) regressaram aos lucros. Mas para que estas regressassem aos lucros, os Portugueses sofreram a segunda maior queda salarial de toda a OCDE."

Raquel Varela, historiadora 

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Eusboço Rocking Cascais




Eusboço, a Artista multifacetada, integrante ativa da Crew L, com os seus azulejos meticulosamente trabalhados e oferecidos gratuita e generosamente à comunidade. Também já deixou vestígios da sua passagem por Cascais.

Friend and Artist Eusboço, she is a very active member of Crew L, also have spread her Artworks through the streets of Cascais, generously working for free, feeling Love for the people of the city, offering sensitive pieces to the community.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Vida de Artista



Entre o braço e o intelecto, ser Artista Visual implica por vezes grande esforço :p É preciso estar pronto para tudo ;))) ehehe

domingo, 8 de setembro de 2013

Missa de domingo




Vós deveis comparecer ao altar do consumo com sublime devoção. 
Ide cumprir religiosamente as indicações da máquina sacerdotisa: passai a hóstia de plástico pelos lábios do nártex, lembrai-vos de engolir o cartão e carregai para abrir. 
Por fim, ajoelhai e entregai confiantes as vossas almas ao Deus-Capital. Ámen.

ATM card: make sure you swallow your HOSTIA before entering the consumer's ALTAR. 
AMEN!

sábado, 7 de setembro de 2013

Political Walls in Portugal


«More recently, we have seen the emergence of the so-called political walls in Portugal, which had been forgotten since the post-revolution period. While during the post-revolutionary period many of the painted walls were part of a political communication strategy by the existing parties (mainly left parties), we notice that nowadays those responsible for these wall paintings are normally isolated citizens, associations or non-formal groups of citizens. Nowadays, political wall paintings reappear mainly through the hand of citizens who do not belong to party organizations but who wish to have their voice heard in the public arena, expressing their convictions through the most accessible and democratic resource they have at hand: the street and the walls. It is evident that the current economic and political circumstances favour the emergence of this type of phenomena. The street is one of the preferred stages for protest.»

Ricardo Campos (anthropologist and street art specialist)

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Listen to Your Body


«BEING SURE OF YOURSELF MEANS YOU’RE A FOOL 
CONFUSING YOURSELF IS A WAY TO STAY HONEST 
DREAMING WHILE AWAKE IS A FRIGHTENING CONTRADICTION 
ENSURE THAT YOUR LIFE STAYS IN FLUX 
LISTEN WHEN YOUR BODY TALKS»

Jenny Holzer

terça-feira, 3 de setembro de 2013

O corpo da cidade acontece


«A arte sulca o corpo da cidade abrindo-o para potencialidades fugidias, virtualidades para além do seu funcionamento corriqueiro. Mas não se trata simplesmente de uma redução do visível ao legível: é também um acontecimento. O caráter efêmero e de infiltração nas redes informativas da cidade que a obra apresenta reforça o entendimento da operação de desterritorialização e reterritorialização que se dá na paisagem. Na efemeridade de sua incidência, tais manifestações artísticas permanecem, sustentam-se no caos urbano, no breve intervalo em que criam afectos e perceptos entre o homem e a cidade.»

Renata Moreira Marquez (arquiteta)

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Trabalhar mais é trabalhar pior


«O aumento do horário de trabalho para 40 horas na função pública vai fazer cair a riqueza produzida por cada trabalhador. Vai acarretar mais custos (serviços abertos mais tempo, gastos de energia) mas as pessoas vão trabalhar mais e por isso pior. Esta medida — do aumento do horário de trabalho —, não permitirá maior produção social mas apenas e só a descida do custo unitário do trabalho (salários) que tem como contrapartida a subida do rendimento do capital investido (através da pagamento de juros da dívida pública, parcerias público privadas, etc).»

Raquel Varela

domingo, 1 de setembro de 2013

Still Big, Still Unfinished


Aproveitamos algumas horas neste domingo para avançar um pouco mais com este trabalho, que no entanto permanece incompleto...

Some more hours to add a few colours to this painting on a Sunday evening. But it's still unfinished...