SÊ BEM-VINDO ! SÊ BEM-VINDA ! YOU ARE WELCOME !

sábado, 31 de outubro de 2015

Antes a pé, agora de carro


In October 2009 we hit this spot for the first time.

Its first daylight picture appeared in this blog with a wise quote by H. Jackson Brown Jr.

After six years, we've just made an update of that street painting. 

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

The Loved Shark

A zona mais frágil deste estêncil é a intersecção do colarinho com a gravata. O desgaste causado pelo uso obrigou ao fortalecimento dessa área, através da colagem de tiras de cartão rijo, uma à frente e outra atrás.

Nestas fotografias, vemos o estêncil ainda banhado com a tinta dourada da sua última utilização.

If you have a shark as a pet, if your boss is your loved one, here we give you suggestions on how you can give him the best treatment.

For sure he will pay back your loyalty with his golden pockets.


quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Loud, Clear and Energetic




"Graffiti is the youth's subtle yet loud, clear and energetic response towards a society which showed no love for them, the so-called underdog."

Phase II

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Take It Easy


Se uma viatura da polícia se aproxima, age com tranquilidade. Afasta-te das latas e comporta-te como se nada fosse. A polícia acaba por se ir embora e tu, ao menos, já sabes onde é que eles estão.

De resto, lembra-te de que não estás a fazer nada de errado. Oferecer Arte no espaço público aproxima os cidadãos e contribui para reflexões e debates necessários. É no interesse de uma sociedade democrática que haja quem defenda o direito à liberdade de expressão. 

If a squad car shows up, just keep cool, drop the cans, walk around as nothing happened. If cops come closer, just remember: you're innocent. Doing street art and offering colours to the city is a significant contribution to freedom of expression, in the best interest to everyone. Otherwise, we all should ask: do we really live in a democracy?

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Knocking On A New Door


A caminho da praia da Parede, antes da chuva.
This is a nice place to live, the one many people would like to call "home sweet home".

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Conserto da aba













Este é um dos nossos estênceis mais emblemáticos, e também um dos maiores.

As abas da cartola ameaçavam romper, pelo que foi necessário proceder à sua reparação.

À primeira vista é uma tarefa simples: desenha-se um molde da aba, que depois é repetido para que possa ser colado dos dois lados. Contudo, trata-se de um processo moroso que requer gentileza nos gestos para não romper as partes danificadas e já amolecidas.

Inesperadamente, um simples conserto consome um inimaginável tempo :p Ainda assim, é bastante mais rápido do que as intermináveis horas que seriam necessárias para desenhar e cortar um novo estêncil com esta dimensão ;)

sábado, 24 de outubro de 2015

Lachsorange und Goldfisch (Molotow Sprühdosen)


Finally, these two spray cans got empty. They were some of the oldest paint still alive in our stock.

Today we say goodbye to Major General Salmon Orange and Colonel Goldfish. These two brave soldiers joined our troops in 2007 and with their estrategic experience they helped audacious newer cans tackling many colourful walls throughout the years.

Rest In Peace!

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

sábado, 17 de outubro de 2015

Perversity, Futility, Jeopardy


"Num livro editado já há uns bons anos entre nós com um título diluído, O Pensamento Conservador, o saudoso economista político Albert Hirschman analisou “a retórica da reacção”, indicando que esta tipicamente tem assumido ao longo da história contemporânea três modalidades argumentativas mais ou menos complementares: perversidade – a mudança produz consequências contrárias às pretendidas –, futilidade – no fundo, nada muda – e risco – a mudança tem consequências negativas em ganhos anteriormente obtidos.

Face à possibilidade de um governo apoiado pelas esquerdas, na retórica da reacção lusa, e para lá da irracionalidade, tem dominado a modalidade do risco, seguida pela da perversidade. Entretanto, começo a notar que, aqui e ali, a modalidade da futilidade vai fazendo o seu caminho: é muito menos provável que as coisas mudem, ou, melhor, que a direcção das coisas mude no essencial, do que mudem aqueles que querem mudar a direcção das coisas, afiançam. Dado o seu conhecimento das objectivas estruturas de constrangimento europeias e dos seus efeitos, estou em crer que é nesta modalidade que os sectores mais ilustrados da sabedoria convencional, reaccionária ou não, irão cada vez mais apostar e é nesta modalidade que as nossas atenções devem estar mais seriamente concentradas."

João Rodrigues

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Não são possíveis políticas de esquerda dentro da zona euro


"A maioria do povo português ainda não terá consciência de que a democracia conquistada no dia 25 de Abril de 1974 ficou, no essencial, comprometida com a participação num processo de integração carregado de ambiguidades. Do mercado comum ao mercado único, deste à moeda única e, agora, o tesouro único, a UE consolida passo a passo um regime político híbrido que escapa ao controlo democrático dos cidadãos. Se o exercício da democracia pressupõe uma unidade territorial onde o povo elege os seus representantes e toma decisões sobre a vida da comunidade, então o caminho que a UE já tomou é tudo menos democrático. Onde está o povo europeu? Onde está essa comunidade de partilha de vida e de deliberação, o demos que detém o poder soberano? A verdade é que, na ausência de uma língua comum, largamente partilhada, a cidadania europeia não passa de um mito que serve a estratégia política de uma elite cosmopolita desligada dos seus povos.

[...]

Aos olhos de muitos, uma crise gerida pela esquerda será mais suportável do que uma crise gerida pela direita. A meu ver, tendo em conta o impasse em que a UE se encontra, um governo apoiado pelas esquerdas apenas será útil ao país se estas forem capazes de mostrar ao povo, no decurso desta experiência de governo, que o problema está mesmo no respeito pelos compromissos europeus. Se forem capazes de deixar cair a guerrilha verbal contra a direita e disserem, preto no branco, que sem soberania sobre a política económica não temos futuro. O país não precisa de mais ilusões."

Jorge Bateira

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

To Send a Message



"We love painting in the streets and are always trying to send a message in our pieces about the crazy things that are happening around us in the world or the things that we have experienced. The themes are mostly about human rights, social issues, child labour, and peace and love."

Icy and Sot (iranian street artists)

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Speedy Motorway Flying




This was painted in August 2009.
As we can see above, it appeared in Google Street View for the first time in October of that same year. And again in August 2014 and once more a month later.
Today, after six years, those big wings are still flapping! Yeeeah!!!

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Nearly to The End


«Many people take no care of their money till they come nearly to the end of it, and others do just the same with their time.»

Johann Wolfgang von Goethe

domingo, 11 de outubro de 2015

Vencendo o poder totalitário


"São assim os projectos totalitários: não admitem críticas nem alternativas, têm horror ao pluralismo e só suportam a democracia enquanto ela lhes permite executar, com a ajuda de manipulações mediáticas e outras, um poder inquestionado.

Mas depois há os povos, as democracias. Que questionam. Que resistem ao que consideram errado, injusto e não permite melhorar a vida da sociedade. Assim como os projectos totalitários não nasceram nem se impuseram de um dia para o outro, também os que os contestam passam por processos, por combates que crescem, que diminuem, que voltam a crescer… Só do lado dos totalitarismos a política é vista como o exercício de um projecto fechado, como algo que pudesse subtrair-se à história, às dinâmicas do tempo e do espaço. Do lado do campo democrático, a política é vista, e tem de ser vivida, como constante mutação, como jogo de possíveis em que «apenas» se escolheu um lado: o da liberdade, o da igualdade, o da fraternidade.

[...] hoje a situação política em Portugal não é de todo a mesma. Com a perda da maioria absoluta por parte da coligação de direita e a necessidade de haver acordos que a extravasem para que as suas leis e o seu orçamento do Estado sejam aprovados no Parlamento, a austeridade neoliberal é ferida onde mais lhe dói: na perda do seu poder totalitário."

Sandra Monteiro

sábado, 10 de outubro de 2015

Respirar melodia


Onde há caminho, há interrupção.
Existe o desvio e o recomeço.
O tempo é um amigo ancestral.
Nem a força da chuva é garantida.
A delicadeza dos minutos sensíveis assegura a certeza do irrepetível.
O medo é uma ponte e a dúvida é uma escada. 
A música permanente é tinta sempre nova.

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

The modern voter is worse off than a medieval serf





"There's an impending scheme called TTIP (Transatlantic Trade and Investment Partnership, a proposed EU-US agreement) whereby all complaints – against US companies fracking in Britain, say – would go to a global tribunal, moderated by corporations. They don't care who the Prime Minister is. Why should we? PM is being eroded to the point of insignificance.

The modern voter is worse off than a medieval serf. Back then, at least the process of theft was transparent. The barons whacked you over the head, then took all your money. The mode of larceny has changed, that's all."

Max Keiser

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Love Parade


"Desde 1980 adotou-se o arco-íris como símbolo do movimento gay. Desde as love parades, os homossexuais exibem bandeiras do arco-íris, e, em geral, em todos os ambientes onde trabalham e vivem, colocam autocolantes com as cores do arco-íris. Qual é a origem deste costume?

[...]

O arco-íris é um símbolo originariamente bíblico: o da aliança de Deus com os homens. Depois do dilúvio, ao que apenas Noé e a sua família sobreviveram, Deus prometeu: «Não aniquilarei a vida uma segunda vez.» E como símbolo da sua promessa pôs o arco-íris no céu e disse: «Cada vez que o arco apareça entre as nuvens pensarei na promessa que acabo de vos fazer e a todos os seres vivos.» Este simbolismo bíblico era bem conhecido entre os homossexuais, devido às tradicionais confrontações entre eles e os círculos eclesiásticos."

Eva Heller

domingo, 4 de outubro de 2015

Dia de Eleições Legislativas

Em Portugal, a população foi hoje autorizada pela classe dominante a cumprir o ritual quadrienal de introduzir papelinhos numa caixinha.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Último dia de campanha eleitoral

mural realizado com El St, grande amigo e artista

«Pedro Passos Coelho e Paulo Portas são criminosos, corruptos e cobardes.»
Joana Amaral Dias, Agir

«Não compraria um carro em segunda mão a António Costa nem a Passos Coelho, nem pensar. Nem quereria andar sequer num carro emprestado por qualquer um deles.»
António Marinho e Pinto, Partido Democrático Republicano

«Milhares de pessoas de boa fé foram às urnas, onde lhes entregaram um papel que diziam ser boletim de voto, mas depois afinal era papel higiénico. Depois das eleições tivemos uma coligação em que o papel higiénico virou folha dupla, mas não deixou de ser menos solúvel por isso.»
Marisa Matias, Bloco de Esquerda

«Uma figueira brava, mesmo enxertada de macieira, nunca dá maçãs.»
Jerónimo de Sousa, Partido Comunista Português

«Temos um governo de lacaios da Europa alemã que tem estado a permitir que a senhora Merkel faça, através do euro e da UE, aquilo que Adolf Hitler não foi capaz de fazer com as divisões Panzer.»

Garcia Pereira, Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses


quinta-feira, 1 de outubro de 2015

O Agente Silva é nosso amigo

Há agentes da autoridade que sabem apreciar as qualidades da Street Art e o estatuto que já adquiriu nos livros de história da arte contemporânea.

There are police officers who understand the significant role of Street Art in modern History of Contemporary Art.