SÊ BEM-VINDO ! SÊ BEM-VINDA ! YOU ARE WELCOME !

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Confidente


"O artista é o confidente da natureza. As flores dialogam com ele através da curvatura graciosa das suas hastes e das nuances harmoniosas das suas pétalas. Cada flor tem uma palavra cordial que a natureza dirige ao artista."

Auguste Rodin

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Intervir com um propósito

com ElSt

"As técnicas são apenas um caminho para transmitir uma mensagem. Há uma parceria de longa data entre forma e conteúdo. A ideia deve antecipar a técnica. Portanto, não confie em manuais nem em receitas. Não siga tendências. Experimente você mesmo!"

Alexandre Órion (brazilian street artist)


domingo, 26 de junho de 2016

Pintando as capas


Eis os livros cujas capas vão ser intervencionadas:
- Que fazer com este euro?
- Novos proletários
- A política em estado vivo
- Portugal, uma sociedade de classes
- Imigração e racismo em Portugal

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Regressar à Europa dos Estados sociais


"Temos de conseguir superar os egoísmos nacionais e regressar a uma Europa social. Agora repitam várias vezes. Muitas vezes. Para lá da estafada associação entre Europa e União Europeia, nesta frase temos dois truques frequentes, e ligados, de um europeísmo que espantosamente ainda persuade muitos intelectuais à esquerda. Supostamente, estes tinham obrigação de saber mais e melhor.

Os dois truques consistem em associar um sentimento perverso à esfera nacional, reservando implícita e por vezes explicitamente para a esfera supranacional europeia uma disposição altruísta, vinculando-a institucionalmente a um suposto modelo social europeu. Na realidade, é mais rigoroso dizer-se que é preciso superar os egoísmos supranacionais e regressar a uma Europa de Estados sociais.

De facto, os Estados sociais europeus, assim no plural, são construções essencialmente nacionais, que tudo deveram às dinâmicas políticas dos espaços onde esteve e ainda sobrevive a democracia. No eixo Bruxelas-Frankfurt, com mais lobistas empresariais do que Washington, estão, isso sim, todos os egoísmos, até porque aí estão concentrados os mais poderosos instrumentos de erosão das solidariedades forjadas na escala estatal pelos povos europeus.

O decadente europeísmo realmente existente está basicamente reduzido a múltiplos truques ideológicos, que servem para ofuscar e que apenas sobrevivem porque continuam a ser repetidos incessantemente por aí, embora, pudera, com cada vez menos convicção."

João Rodrigues

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Cinco minutos de permeio



A história desta singela pintura à beira-mar conta-se em poucas linhas.

As latas começaram a espalhar tinta. Sentimos passos a aproximarem-se. Escapamos com uma fotografia, convencidos de que não daria para mais. Entretanto quem veio também se foi rapidamente e nem deu pela nossa presença. Então retomamos a tinta, na expectativa de irmos mais longe na composição. Eis que apareceram pessoas a sério e quando elas dobravam a esquina já nós escapulíamos com a missão a meio.

A aparência final do quadro é a que se vê, sem a cor desejada. Ainda assim com a expressividade combativa de nós todos, os muitos que acalentamos com firmeza a esperança em um mundo melhor!

:-) Abraços!

domingo, 19 de junho de 2016

Home 'n' Soul


"I'm like a bird, I'll only fly away
I don't know where my soul is
I don't know where my home is"

Nelly Furtado

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Obscuridade não autorizada




"A escrita no muro de forma não autorizada, vulgo graffito, é uma prática antiga. Há exemplos da sua existência que remontam à antiguidade clássica, na Roma antiga ou em Pompeia. Comum a estas formas de expressão de índole vernacular é a recorrente veia satírica e contestatária das mensagens. A afronta ao poder e aos bons costumes tem encontrado no muro e nas formas anónimas de comunicação um reduto altamente criativo. Especialmente relevantes são os graffiti executados no espaço público, disponíveis para uma incomensurável plateia. A falta de identificação de um destinatário particular torna esta forma de comunicação ainda mais curiosa, assemelhando-se às estratégias comunicativas da propaganda política e da publicidade. Ao invés destas, o graffiti é executado pelo cidadão comum, geralmente na obscuridade."

Ricardo Campos

terça-feira, 14 de junho de 2016

Silêncio criativo


"Há algo de extravagante no ato de criar, embora a tarefa seja séria. E é igualmente extravagante escrever a respeito desse ato pois, se há um processo silencioso, é o processo criativo. Extravagante, sério e silencioso."

Jerome Bruner

segunda-feira, 13 de junho de 2016

domingo, 12 de junho de 2016

sábado, 11 de junho de 2016

Desenho da cidade


"O âmbito espacial da produção informal de signos visuais reflecte-se sobretudo na dimensão de proximidade, aquela que é alcançável fisicamente pelo utilizador na sua vivência quotidiana. Nesta dimensão a arte urbana para além de ser de autor anónimo, o próprio autor poderá estar na condição de não estar consciente da sua produção. 

Arte Urbana como signo visual é abrangente, e inclui: caminhos de pé posto; cartazes sem autorização; desgaste de escadas causado pela passagem de utilizadores; profusão de assinaturas (tags) em superfícies várias; etc. A identificação do seu valor nesta dimensão será possível sobretudo olhando para as características do suporte, descurando a interpretação da mensagem, observando sim quais as qualidades do suporte em função por exemplo: dos signos visuais identificados, qualidades de visibilidade, da textura da superfície, acessibilidade, simbolismo, entre outras."

Pedro Soares Neves

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Marcelo Rebelo de Sousa em Paris


Eis que mais uma vez chegamos ao oficialmente denominado Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. 10 de junho de 1580 terá sido a data em que o corpo do autor d´Os Lusíadas perdeu os seus 21 gramas.

Every 10th day of June, portuguese people celebrate Portugal Day (Day of Portugal, Camões and the Portuguese Communities). This date commemorates the death of Luís Vaz de Camões, a significant figure who is best known for having written "Os Lusíadas", the national epic poem of Portugal that celebrates the nation’s successes and rich history.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Cartaz de hoje


Completamos hoje as 6 horas de trabalho envolvidas na execução dos 2,20 cm de altura deste cartaz.
Today we finished the seven-feet-high poster started sometime ago. Let's paste it!

terça-feira, 7 de junho de 2016

Arte performativa


"Será a street art uma arte performativa? Sim, no que expõe do corpo do autor em espaço público; no que de situacional tem o seu processo de realização e na efemeridade que carregam as suas criações; na relevância que os registos fotográficos e videográficos ocupam na preservação e propagação da sua experiência e resultado final; na postura primordialmente subversiva que ambas assumem."

Sílvia Câmara

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Countryside Street View



Conta-se que esta casa, que serve de suporte para a nossa tinta, já foi abalroada pela queda da árvore que se vê ao seu lado. Neste achado no Google Street View, ainda surge intacta, tal como já a exibimos aqui e, dois anos depois, aqui.

A Street Art e os lugares onde acontece são organismos vivos: transformam-se com o tempo.

domingo, 5 de junho de 2016

sábado, 4 de junho de 2016

Concidadãos, agora aqui, ontem no amanhã


Momentâneo é o anonimato. E também a fama.
Finita a proficiência, a memória e também o esquecimento.
Efémeros os relógios e os calendários. Os invernos e os verões. Breves são ainda as décadas e os séculos.
Se tudo dura, se existe o nunca e o para sempre, se há o nada e tudo resiste sendo passageiro, transitória é a própria efemeridade.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Le Monde Diplomatique, maio 2016


É para nós uma enorme satisfação podermos afirmar que acompanhamos a edição portuguesa do Le Monde Diplomatique desde o seu início em Portugal, em 1999.

Com carinho (mas alguma desorganização) temos vindo a conseguir preservar quase todos os números por nós comprados ao longo dos anos.

Por isso é compreensível o orgulho que sentimos quando, em agosto do ano passado, mais uma vez deparamos com uma pintura nossa na capa deste magnífico mensário. O processo de construção desta obra, alusiva ao triste naufrágio grego que é também o de todo um continente, foi revelado nesta sequência.

Ainda que a Europa tenha vindo a afogar o princípio da solidariedade, enquanto valor elevado que já tanto a caracterizou, há sempre quem resista. Felizmente, prosseguem de pé e incontáveis os milhões de europeus, que com a convicção das ideias e a força da união, enfrentam a barbárie!

Neste mês de maio (e como se vê acima) um estêncil nosso tornou a aparecer, desta feita ilustrando um elucidativo texto de Carlos Pimenta sobre os Offshores, muito útil para alimentar uma militância consequente.

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Street View São Pedro




Here again we come upon a Dalaiama's Artwork in Google Street View. This piece at Rua do Murtal (Murtal's Street) was found in São Pedro do Estoril.

It was already shown in this blog under strong sunny light.

We'll never notice in the internet every each of the walls we've painted, but at least we can get some of them ;)