SÊ BEM-VINDO ! SÊ BEM-VINDA ! YOU ARE WELCOME !

quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

Submitting To The Impermanence

 




"In making art at all, to me at least, there's some element of fighting against how impermanent life is. Yet on the street, it's all about completely submitting to the impermanence."

Shepard Fairey

quarta-feira, 29 de Outubro de 2014

As 7 horas de uma semana de 7 anos


Houve comoção no reencontro com esta parede, por constatarmos que, volvidos mais de 7 anos, a tinta ali permanece, visível da rua. Os pigmentos vão se cansando, já são muitos anos a receber abraços do sol, mas continuam colados à fachada. Este mural guarda histórias e recordações. Chegou a servir de inspiração para um outro realizado na Galeria de Arte Contemporânea António Prates. E as suas cores, ainda vívidas, chegaram a aparecer no minuto 2:59 deste pequeno vídeo. 
Obrigado Amigos do Estoril, pela aceitação deste quadro no design de interiores do bairro ;) abraços a todos!

terça-feira, 28 de Outubro de 2014

Conversation (a sort of) ;)


Overether Says:
"It is not a healthy disorder and it is making people a certain way -- uncomfortable. I tag to fuck certain people, not to deface wildly. It should be an art form to express emotion, directed, not uncontrolled and chaotic. This shit -- wild tagging, is what makes cities look like slums. Not a single fucker wants to live in a slum..."

Chef Vortivask responds:
"It's not wild tagging its finding a spot where it can be seen and the closest to busy areas are the best coz they get more views and are more red hot to pull off and there fore gain u more respect. u ignorant mother of fuck."

Overether concluded:
"Get BACK in your hole you hood rat! Nobody asked you and nobody cares. End of story."

;p

segunda-feira, 27 de Outubro de 2014

The Wrong Beauty




"Graffiti is in-between something beautiful and something that is completely wrong."

Alone (swedish graffiti artist)


domingo, 26 de Outubro de 2014

O Povo-Irmão reelege Dilma


Precisamente hoje, no segundo turno da eleição presidencial, foi reeleita no Brasil a presidenta Dilma Rousseff do Partido dos Trabalhadores (PT). Depois de Luís Inácio Lula da Silva, do mesmo partido, ter estado na presidência de 2002 a 2006 e de 2006 a 2010, agora também Dilma Rousseff alcança o seu segundo mandato consecutivo. 

Aécio Neves (Partido Social Democrata do Brasil) ainda recebeu 51.040.588 (48,36%), contra os 54.498.042 (51,64%) de Dilma. 

Para ilustrar esta notícia, muito oportuna é esta fotografia. Nela vemos uma figura, inteligentemente colocada à direita da nossa peça, da autoria de Tikone, um excelente Street Artist brasileiro! Com um estilo único e inconfundível, Tikone brindou Portugal com a presença generosa e ainda viva de várias das suas intervenções. 

Obrigado Tikone! Obrigado Grande Nação Brasileira! Abraços por sobre o Atlântico!

sábado, 25 de Outubro de 2014

A Kind of Spirituality


"My work is about what I see when I close my eyes. It is about spirituality and the unknown. [...] I call it what I do when I'm not eating."

Kelsey Brookes

sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Le Monde Diplomatique 2005-2006












Temos vindo a acompanhar a edição portuguesa do Le Monde Diplomatique desde o seu início em 1999 e já referimos como a sua informação esclarecedora, crítica e bem fundamentada tem sido determinante no entendimento que fazemos do mundo e, por conseguinte, no nosso modo de produzir imagens. 

Não obstante uma parte considerável já se tenha perdido com o tempo, são incontáveis os jornais que ainda vamos mantendo arquivados!

Hoje prosseguimos publicando as capas dos números relativos a um período muito específico, entre abril de 2005 e abril de 2006. Este foi o último ano de publicações do Le Monde Diplomatique até à interrupção a que se viu obrigado e que felizmente foi temporária. Com efeito, durante alguns meses não houve edição portuguesa, e quem estava habituado à constância da sua singular qualidade sentiu a falta que o jornal fez, em meio a uma imprensa globalmente medíocre como é a que temos em Portugal. 

Foi pois com satisfação que vimos o retorno da edição portuguesa do Le Monde Diplomatique em novembro desse mesmo ano de 2006. Entretanto, até que isso acontecesse, ainda experimentámos ir comprando a edição francesa (aqui encontramos duas capas desse período), mas ali não havia a especificidade insubstituível própria dos textos redigidos pela equipa portuguesa. 

A lição inesquecível deste breve eclipse da EDIÇÃO PORTUGUESA, é que ela é mesmo ÚNICA, IMPRESCINDÍVEL e INSUBSITUÍVEL. Daí a certeza de que é preciso apoiar a permanência do jornal, lendo, comprando, assinando. É o que a nossa convicção te recomenda que faças. A escolha é obviamente tua. 

Amigos, abraços a todos!

quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

A farsa de Matarraque


Está a decorrer em Matarraque, Cascais, um "concurso" para uma pintura que é suposto "dinamizar a arte urbana e os artistas locais do Concelho" promovido por uma dita "comissão de moradores", com o apoio da Câmara Municipal de Cascaisque é uma total exploração, um desrespeito para com os Artistas, uma absoluta incompreensão do real valor de uma Obra de Arte. 

A ignorância é corrosiva, não se pode tomar parte nela, exige o máximo afastamento!

Este é um exemplo que merece reflexão, na medida em que se trata de mais um, de apenas mais um (!) dentre muitos e frequentes casos que expressam bem o atraso intelectual atávico que devasta o nosso país. A falta de investimento em Cultura não passa apenas pelos "políticos", exige alguma noção do ridículo por parte de moradores que são, em suma, cidadãos comuns como somos todos nós. 

Quem participar nesta aldrabice, estará a subscrever a opinião de que a Arte não merece que se viva dela, não carece de respeito, de investimento. Quem "concorrer", pois que não se queixe quando no futuro desejar dedicar-se profissionalmente à Arte, mas nesse momento dar-se conta de que há sempre alguém a desvalorizar o mercado, a fazer trabalho de borla (tal como esse alguém terá feito agora). Quando alguém trabalha grátis, para além de outras consequências nocivas, está a tirar o lugar ao profissional em que um dia poderia vir a tornar-se.

Não há dinheiro, não há progresso. Em Portugal a Cultura fica sempre pelo desenho incompleto. E não saímos do círculo vicioso: a despreparação geral que consiste numa má educação visual, têm aqui a sua origem, porque enquanto fruidores contentamo-nos com a impostura alegórica, e esta, por sua vez, impõe-se à força da repetição, o que leva à anestesia geral do olhar crítico e culturalmente sustentado, que assim não desenvolve o seu necessário grau de exigência e torna a aceitar (e a promover) a insuficiência artística.

E ainda há quem se espante quando constata que muita gente cheia de talento acaba por abandonar uma promissora carreira artística porque teve de ir trabalhar para o McDonald's ou a TelePizza!...

Caros Amigos, se alguém vir uma boa razão (UMA ÚNICA QUE SEJA!) para se participar num tal concurso promovido em Matarraque com o apoio da Câmara Municipal de Cascais, por favor esclareça-nos. 

Ora vejamos: não pagam o trabalho. Nem sequer dão tintas. Oferecem...? Sim, oferecem a sua magnânima aprovação, através de um Júri culturalmente preparadíssimo (um elemento da comissão de moradores, outro da Câmara e outro de uma empresa privada que faz o favor de ceder a parede atualmente suja e a precisar de pintura). Se der para o torto, por exemplo alguém rabiscar por cima do teu trabalho, reservam-se o direito de destruírem eles próprios todo o resultado do teu empenho, dizem que, assim sem mais, vão cobrir tudo de branco e cinzento (e lá se vão as tuas tintas). Ainda por cima és obrigado a ceder totalmente os direitos autorais da peça. Isso, claro, se dedicares esforço suficiente do teu tempo pessoal (horas, dias...) para produzires um excelente projeto. De fato, tem mesmo de ser excelente, porque o júri é tão qualificado que reserva ao seu próprio bom gosto o direito de recusar todas as propostas.

Basicamente, aguardam que um incauto bem intencionado, disposto a desperdiçar o seu talento, pague para resolver um problema que é deles.

Bom, quando há Artistas que se esforçam para oferecer Street Art, disponível para fruição gratuita de todos, no espaço mais democrático que é por excelência o lugar público, quando estas pessoas suprimem horas de sono a gastar (entre outras coisas) gasolina, tintas e tempo, fazem-no porque acreditam que do outro lado, a povoar as ruas, há GENTE CULTA, SENSÍVEL e HONESTA. Não é o caso das pessoas por trás desta intrujice de Matarraque. E infelizmente, não é caso único. 

Pior ainda é que há quem se rebaixe, sujeitando-se a participar na farsa...

terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Freedom Of Thought

"By virtue of its mere presence in the cityscape, street art challenges consumerism, advertising and the art system while promoting freedom of thought and the expression of unmediated political or playful ideas for free."

Anna Waclawek

domingo, 19 de Outubro de 2014

Is It Too Dark?

Nas ruelas mais escuras sempre podemos recorrer à luz que transportamos no bolso.
Don't worry: sometimes you just have to bring your own lightning torch.

sábado, 18 de Outubro de 2014

sexta-feira, 17 de Outubro de 2014

Illusion


«The greatest enemy of knowledge is not ignorance, it is the illusion of knowledge.»

Stephen Hawking