SÊ BEM-VINDO ! SÊ BEM-VINDA ! YOU ARE WELCOME !

sexta-feira, 17 de abril de 2020

Estado de Emergência III (renovado)


Em função do renovado e repressivo Estado de Emergência, quem precisar de sair à rua, movido por razões incompreendidas pela arbitrariedade institucional, deve ser muito discreto, imperceptível, quase invisível.
E, claro está, adotar as devidas precauções de caráter sanitário, para não contagiar nem ser contagiado pelo novo Coronavírus.

terça-feira, 7 de abril de 2020

Protective Clothes


In times of pandemic fear and uncertainty, stay at home dressing protective pajamas against new coronavirus. They are cosy and warm ;)

domingo, 5 de abril de 2020

Adeus, mastaba!


Absolutamente apagada da geografia urbana. Da sacralizada opulência, das desigualdades falsamente inevitáveis, de uma estrutura inabalável na sua suposta perenidade, nem uma pedra restou de pé.

Concretizou-se a profecia. Do capitalismo putrefacto hão de ficar as estéreis memórias da poeira seca.

sábado, 28 de março de 2020

#ficaemcasa


“Não é necessário saíres de casa. Fica à mesa e escuta. Não escutes sequer, espera. Não esperes sequer, fica completamente quieto e só. O mundo oferecer-se-á para que o desmascares, não lhe resta outra coisa. Arrebatado, contorcer-se-á perante ti.”

Franz Kafka


domingo, 22 de março de 2020

sábado, 21 de março de 2020

Agressão ao direito à greve


"Portugal é o único país que suspende o direito de greve no Estado de Emergência. Nem na Índia do fascista Modi. Nem a Itália, a lidar com a pior situação, o fez! Em Itália foram suspendidas as greves só nos sectores essenciais relacionados com o combate ao Virus; Nos EUA em lado nenhum; em Espanha só o direito de reunião foi limitado, não o de greve. Aliás, em Itália foi à ameaça de uma greve geral, de fixos e precários, que levou o Governo a aprovar a proibição dos despedimento durante a pandemia. Na França o direito à greve está garantido, apesar do Estado de Emergência ter sido decretado, bem como o recolher obrigatório.

[...] Em Portugal aprovou-se o Estado de excepção para permitir de facto os despedimentos sem resistência… ainda a tinta não tinha secado e a Groundforce hoje [19.03] aproveitou e já anunciou o despedimento de mais de 500 trabalhadores e a redução salarial de outros 500 – que nem greve podem fazer. [...] A seguir vem a TAP, restaurantes, hotéis, serviços, é assim que vamos “sair da crise”, condenando milhões à fome para deixar intocados os prémios e dividendos de meia dúzia de accionistas – só estes, desde 2008 pagariam 6 meses de salários a todos na Groundforce.

Não ocorreu ao Governo português limitar – com o Decreto de Emergência – o direito à remuneração dos accionistas, nacionalizando os lucros destas empresas, ou pelo menos os dividendos recentes, para garantir salários a milhões de trabalhadores e suas famílias. Ocorreu – com entusiasmo mediático – pôr fim ao direito à greve, ou seja, suprimir o direito democrático de quem trabalha lutar pelo seu trabalho, que é o direito à sua vida e dos seus filhos. Sim, a democracia foi suspensa, e foi pelo Partido Socialista. Com o apoio entusiástico da direita, [...] e – quem diria – o voto a favor do Bloco de Esquerda e a abstenção do PCP, que se vêem assim frente a uma crise moral e ética sem precedentes.

[...] Quem vive do trabalho não está só de quarentena, a lutar em conjunto pela vida, hoje. A estes – aos mais pobres, mais frágeis, mais precários, sem almofada, não lhes foi pedido que ficassem em casa, só. Foi-lhes exigida, com força de decreto militar, que abdicassem do futuro. E aqui, ao contrário da pandemia, não se pode dizer que estamos todos no mesmo barco. Se o vírus não escolhe classes sociais, a crise económica é clara sobre quem vai ficar para trás. E o Governo já disse de que lado está.

Lembro só, em nota final, que estes trabalhadores, nos portos, aeroportos, AutoEuropa, fizeram greves, plenários e paralisações, espontâneas, a pedir para pararem a produção, e usarem material de protecção nos casos em que são sectores de abastecimento (porto e aeroporto). Ou seja as greves antes do Estado de Emergência ajudaram a conter e não a espalhar o contágio. Foi este medo, que os trabalhadores exijam como foi na Auto Europa ficar em casa, que levou o Governo a aprovar este Decreto, e com esta especificidade, anti-democrática, única na Europa."
 

Raquel Varela

sexta-feira, 20 de março de 2020

Welcoming Spring 2020


Desenho sobre papel livre de ácido; 200 g/m²;  21 cm x 29,7 cm (formato A4).

Drawing on acid-free paper; 115 lbs; 8,3 in x 11,7 in (A4 format).


quarta-feira, 18 de março de 2020

Património urbano


"Assim como o patrimônio ambiental urbano pode ser considerado a materialização das relações sociais que interagem no espaço da cidade, funcionando como elemento de identidade, a preservação deve ser vista como parte de uma luta. A luta pela apropriação da cidade visando resguardar seus significados culturais que testemunham modos de vida e experiências."

Cássia Magaldi

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Passarão


"Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão...
Eu passarinho!"

Mário Quintana

sábado, 15 de fevereiro de 2020

Recognizable Image


"Typically, a stencilled work is characterized by an easily recognizable image or a legible word or phrase and does not necessarily advertise the name of its creator."

Anna Waclawek

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

Faculdades imaginativas


"No início, havia a imagem. Para onde quer que nos viremos, existe a imagem. Por todo o lado através do mundo, o homem deixou vestígios das suas faculdades imaginativas sob a forma de desenhos feitos na rocha e que vão desde os tempos mais remotos do paleolítico até à época moderna. Estes desenhos destinavam-se a comunicar mensagens e muitos deles constituíram aquilo a que chamamos “os pré-anunciadores da escrita”, utilizando processos de descrição-representação que apenas retinham um desenvolvimento esquemático de representações de coisas reais." 

Martine Joly

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

Have A Message


"I loved people that had messages like PRAY, WORSHIP GOD or FREE HUEY. That's why I liked the name Stay High, 'cause it had a message. It was really me."

Stay High 149

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

The Good Sheep Feed Their Master


"The sheep fail to see that sheep dogs are there to keep them in line, not to keep the wolves away. Likewise, the sheep fail to see that sheep masters feed them because they get to harvest the wool to keep the themselves warm and turn them into meals to keep the themselves and their dogs fed."

Vincit Omnia Veritas

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2020

The Ethic of Graffiti Writing


"I love seeing graffiti and I love the scratch shit and I love the etch. What I don’t like is the fact that — being older and kind of understanding what it takes to run a business and have a window in front of your shop that costs thousands of dollars — and a 12 year old kid comes by and does an etch bath tag on it . . . It’s a little fucked up. I think there is some systems that can afford that — like Starbucks or Wal-Mart or a big business. But you go by a barbershop — some dude put 20 years of his life into buying that place — and a little kid, ignorant to what that took, comes and vandalizes it. I think it puts a bad thing out for graffiti."

BISC (legendary american Graffiti writer)

quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

O improvável inevitável


Antes de acontecerem, as mudanças estruturais parecem improváveis. Depois de terem ocorrido, percebe-se como eram inevitáveis. Inevitáveis e, muitas vezes, necessárias.

Before taking place, profound changes seem very unlikely to happen. When they arrive, we understand how inevitable they were. Sometimes, even necessary.

terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Mão firme


Num reencontro fortuito passamos diante desta pintura antiga. Pareceu-nos que merecia um restauro. No porta-malas apenas trazíamos uns poucos estênceis e tinta branca e preta.

Não estando na posse de estênceis maiores, o pássaro e o personagem engravatado tiveram de ser retocados de improviso, totalmente à mão livre. Resultou.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Subcutâneo


Basta a pele da cidade rasgar-se para que lhe vejamos as costelas incrustadas na carne dos muros.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Alegria da pobreza nesta grande riqueza


"É uma casa portuguesa com certeza
É com certeza uma casa portuguesa
No conforto pobrezinho do meu lar
Há fartura de carinho
A cortina da janela é o luar
Mais o sol que bate nela
Basta pouco poucochinho pra alegrar
Uma existência singela"

Excerto de letra escrita por Reinaldo Ferreira para música de V. M. Sequeira e Artur Fonseca, Uma casa portuguesa.

terça-feira, 7 de janeiro de 2020

Tributo a MAR


Abrimos o ano de 2020 com uma referência a Gonçalo Mar, um dos maiores Artistas portugueses com um extenso repertório de intervenções em incontáveis paredes portuguesas. Neste caso, fomos encontrá-lo em Espanha. Entre realizações autorizadas e não autorizadas, o estilo dos seus desenhos é sempre inconfundível. 
Abraços! 
E a todos um Bom Ano! :)