SÊ BEM-VINDO ! SÊ BEM-VINDA ! YOU ARE WELCOME !

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Extravasão

«Hoje eu quero a rua cheia de sorrisos francos De rostos serenos, de palavras soltas Eu quero a rua toda parecendo louca Com gente gritando e se abraçando ao sol» Oswaldo Montenegro

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Starting the day

What a good way to start the day!
The dog didn't stop barking, we thought the whole neighbourhood would wake up. Maybe we could not finish...
Fortunately, it all ended well. Art and free speech prevailed.
A hug to the city :)
Que maneira formidável de começar o dia!
O cão não parava de ladrar, estava-se a ver que toda a vizinhança acordaria e que a pintura ficava por terminar...
Mas tudo acabou em bem. A arte e a liberdade de expressão prevaleceram.
Logo antes de amanhecer foi dado um abraço à cidade :)

domingo, 25 de janeiro de 2009

Israeli Murderers

(MASK + PIMS + POKER + Dalaiama, Estoril/2008) «There are so many stories to tell from our first day in Gaza. So much pain and destruction. But there is one story in particular that I think the world needs to hear. I met a mother who was at home with her ten children when Israeli soldiers entered the house. The soldiers told her she had to choose five of her children to 'give as a gift to Israel.' As she screamed in horror they repeated the demand and told her she could choose or they would choose for her. Then these soldiers murdered five of her children in front of her. Today I learned that the concept of 'Jewish morality' is truly dead. We can be fascists, terrorists, and Nazis just like everybody else. And the international community must demand that this never be allowed to happen again.» Barbara Lubin [Executive Director of the Middle East Children's Alliance (MECA)]

sábado, 24 de janeiro de 2009

Recente

Recent painting by the sea, in the walk path, at Monte Estoril.
Passeio marítimo no Monte Estoril.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

01h23

A luz da noite altera as cores.
(perto da praia de Oeiras)
The light of the night changes colours.
(Near Oeiras' beach)

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Media Subserviente

«Doze Regras de Redacção dos Grandes Media Internacionais quando a notícia é do Médio Oriente:
1) No Médio Oriente são sempre os árabes que atacam primeiro e sempre Israel que se defende. É inconveniente falar em «represálias» quando se tratar do exército israelita.
2) Os árabes, palestinianos ou libaneses não têm o direito de matar civis. A isso chama-se «terrorismo».
3) Israel tem o direito de matar civis. A isso chama-se «legítima defesa».
4) Quando Israel mata civis em massa, as potências ocidentais pedem que seja mais comedido. A isso chama-se «reacção da comunidade internacional».
5) Os palestinianos e os libaneses não têm o direito de capturar soldados de Israel dentro de instalações militares com sentinelas e postos de combate. Isso chama-se «sequestro de pessoas indefesas».
6) Israel tem o direito de sequestrar a qualquer hora e em qualquer lugar quantos palestinianos e libaneses desejar. Actualmente são mais de 10 mil, 300 dos quais são crianças e mil são mulheres. Não é necessária qualquer prova de culpabilidade. Israel tem o direito de manter sequestrados presos indefinidamente, mesmo que sejam autoridades eleitas democraticamente pelos palestinianos. Isto chama-se «prisão de terroristas».
7) Quando se mencionam as palavras «Hezbollah» e «Hamas», é obrigatório a mesma frase conter a expressão «apoiado e financiado pela Síria e pelo Irão».
8) Quando se menciona «Israel», é proibida qualquer menção à expressão «apoiado e financiado pelos EUA». Isso poderia dar a impressão de que o conflito é desigual e que Israel não está em perigo de existência.
9) Quando se referir a Israel, são proibidas as expressões «territórios ocupados», «resoluções da ONU», «violações dos Direitos Humanos» ou «Convenção de Genebra».
10) Tanto os palestinianos como os libaneses são sempre «cobardes», que se escondem entre a população civil. Se eles dormem nas suas casas, com as suas famílias, a isso dá-se o nome de «dissimulação» e «cobardia». Israel tem o direito de aniquilar com bombas e mísseis os bairros onde eles dormem. A isso chama-se «acção cirúrgica de alta precisão».
11) Os israelitas falam melhor inglês, francês, espanhol e português que os árabes. Por isso eles e os que os apoiam devem ser mais entrevistados e ter mais oportunidades do que os árabes para explicar as presentes Regras de Redacção (de 1 a 10) ao grande público. A isso chama-se «neutralidade jornalística».
12) Todas as pessoas que não estão de acordo com as Regras de Redacção acima expostas são «terroristas anti-semitas de alta periculosidade».»

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

DS crew: os Maiores

Pois é, os DS, verdadeiras lendas vivas da linha de Cascais, altos representantes do melhor graff, que há milénios propagam a marca DimensãoSubterrânea por todo o lado, desde o lancil às janelas mais elevadas, dos bombings hardcore aos pieces mais elaborados, concederam, ao modesto Dalaiama ainda aprendiz dos meandros da existência, a honra de uma noite muito bem passada entre os aerossois :)
Construiu-se nesse momento de criatividade partilhada um grito de revolta e indignação diante das injustiças do mundo, particularmente sensíveis ao recente massacre em Gaza perpetrado por Israel. Saiba-se que a seguir ao cobarde bombardeamento das últimas três semanas o genocídio continua sob pretexto de ajuda humanitária (in english).
Parece filme de terror!
O trabalho final ficou muita louco, uma autêntica explosão de cor, expressiva, poderosa!
Quando houver fotografias do resultado final à luz do dia elas serão prontamente mostradas :)
Grande abraço ao Pims, Mask, Poker ;)))*

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Murdering Palestinians

«My grandmother was ill in bed when the Nazis came to her home town of Staszów. A German soldier shot her dead in her bed. Madam Deputy Speaker, my grandmother did not die to provide cover for Israeli soldiers murdering Palestinian grandmothers in Gaza.
The present Israeli government ruthlessly and cynically exploit the continuing guilt among Gentiles over the slaughter of Jews in the Holocaust as justification for their murder of Palestinians. The implication is that Jewish lives are precious, but the lives of Palestinians do not count.
On Sky News a few days ago, the spokeswoman for the Israeli Army Major Livovich was asked about the Israeli killing of, at that time, eight hundred Palestinians. The total is now a thousand. She replied instantly, "Five hundred of them were militants." That was the reply of a Nazi. I suppose the Jews fighting for their lives in the Warsaw Ghetto could have been dismissed as militants.
It is time for peace, but real peace, not the solution by conquest, which is the Israelis' real goal, but which is impossible for them to achieve. They're not simply war criminals; they're fools.» Sir Gerald Bernard Kaufman(British Jewish Labour Member of Parliament)

sábado, 17 de janeiro de 2009

Free Gaza

STOP SIEGE !!!
STOP DROPPING BOMBS !!!
STOP OCCUPATION !!!
STOP GENOCIDE !!!
STOP ISRAELI CRIMES !!!
FREE GAZA !!!
FREE PALESTINE !!!

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Esta noite

Mesmo com tempo chuvoso, se ele não for severo, é possível sair para pintar. Do céu deste canto do planeta redondo caem gotas de chuva...
O que são gotas de chuva comparadas com as bombas que caem do céu de Gaza? Como consegue lá existir um writer? Como conseguiria qualquer um de nós lá existir nas suas rotinas diárias? Como resistem as pessoas quando são destruídos edifícios seus tais como creches, escolas, locais de culto (vulgo mesquitas), tribunais, esquadras de polícia, edifícios de governação, em suma, quando todas as suas infraestruturas sociais são demolidas?
Como é suposto reagir um povo cujo solo foi roubado? Um povo humilhado, submetido a um ghetto rodeado de muralhas, entradas e saídas controladas por Israel, sujeito ainda a um boicote e bloqueio duradouros por parte de Israel, dos EUA e da Europa! Como é suposto reagir um povo que ainda por cima é massiva e criminosamente bombardeado dias e dias ininterruptos? Todos perdem familiares, amigos, conhecidos, perdem braços e pernas, quando não perdem a própria vida. Todos os dias os números de palestinianos mortos pelo massacre israelita sobem impunemente. Ontem eram mais de 900 mortos, hoje já são mais de mil! Num dia morrem da forma mais gratuita cento e tal seres humanos encurralados num ghetto sem hipóteses de fuga! Bem mais de 200 são crianças... Qual o sentido disto?!
É pena que sejamos tão servis em relação aos EUA. O Império decidiu exterminar o povo palestiniano e entregar as suas terras aos colonos israelitas. Qual o problema? Os europeus ao chegar às Américas não exterminaram nações indígenas inteiras para lhes ocuparem o território e roubarem as suas riquezas? Não é a recordação cromossómica que os estadunidenses descendentes de colonos exterminadores têm do destino fatal que deram aos indígenas que encontraram pelo caminho? Terão os tempos mudado? Seria portanto de admirar o apoio dos EUA à política de extermínio de Israel?
Mas está tudo bem. Conosco, o Império é amistoso. Passa-nos a mão no pêlo como se faz a um reles animal servil. Somos lacaios. Autorizamos todos os abusos da potência dominante desde que não sejam conosco. Que nada nos interrompa as idas ao multibanco e as corridas aos centros comerciais!
Heil U.S.A. Empire !!!

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Nada a perder

«ontem pequenos rebentos, hoje corações sangrentos
putos sub-16, as ruas são os seus apartamentos
vêm daqueles bairros de má-fama, bairros problema
onde repórteres do drama, não conseguem desligar a câmera
aqueles bairros onde toda a gente reza, mas nunca se vê um sinal
só por baixo da pirâmide é que tu vês a classe social
os bairros onde se faz caridade e onde se nega oportunidades
os bairros onde as mulheres passam a vida na maternidade
putos comercializam todos os narcóticos mas na boca só entra wella
adora a escola, há lá bué de clientela
roubam carros, casas, lojas com toda a gente a vê-los
ilícito porquê ?! as ruas são deles
é melhor temeres, evita qualquer confrontação
e é melhor saberes que esses putos não tremem com armas na mão
quando aparecem na tua zona, ninguém sai de casa no serão
só as sirenes é que fazem os putos sair do quarteirão
mas eles sabem que respeito nas ruas não é só para quem tem testículos
também é necessário, aparecer na esquadra para encher currículo
isto é a legislação das ruas e fraquejar é sacrilégio
é difícil confiar em alguém, ter amigos é um previlégio
o povo chama-os de delinquentes, marginais, inconscientes
eles sabem que não têm futuro, mas eles têm o presente
e vão sempre vivendo o momento, com a mente, doente ou sã
e pensam no dia de amanhã, só amanhã»
Valete

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

sábado, 10 de janeiro de 2009

Cartões de Bom Ano

Algumas pessoas têm me transmitido que já receberam o seu Cartão com os votos de Bom Ano. Ainda bem. O maior receio era mesmo que, nesta época em que os carteiros andam tão atarefados, os cartões não chegassem ao seu destino. Das quase duas dezenas de cartões enviados, neste momento apenas um, com destino à Finlândia :p , ainda deve estar a caminho.
Mais uma vez deixo aqui o meu abraço a quem aderiu a esta iniciativa :)
Acreditem que foi um jogo giro! Espero que quem tenha recebido um cartão do Dalaiama pelo correio se tenha divertido tanto quanto eu =)))
Um Bom Ano Novo!!
De preferência sem guerras, com mais justiça social!
Que cada um realize os seus sonhos mais bonitos!!
Felicidades a todos! ;)

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Por Gaza

«Gerações de anti-heróis combaterão estoicamente até ao dia da liberdade. O mundo novo é inevitável.» Valete

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Despertar

«Cada irmão
Todo irmão
Sem preconceito de credo e cor
Despertar
Se cada irmão
Se todo irmão
Sem preconceito de credo e cor
Despertar»
Oswaldo Montenegro

domingo, 4 de janeiro de 2009

Coward Israelis

«Israel controls all entrances and exits to Gaza, creating what is effectively an open-air prison. It has routinely prevented food and medicines from entering Gaza, creating, according to relief agencies, “catastrophic” conditions.
Israel has the 4th most powerful military on earth. Like shooting fish in an over-crowded barrel, Israel has killed 380 men, women, and children and injured 1,720 in just four days, using U.S. supplied F-16 fighter jets, Apache helicopters, and naval gunboats against a mostly unarmed population... and the onslaught continues.
American taxpayers give Israel $7 million per day. It is one of the world’s wealthiest nations.»
If Americans Knew

sábado, 3 de janeiro de 2009

Criminal Israelis

«While the media report Israeli violence as retaliatory, the fact is that in every cycle of violence Palestinians are killed first and in far greater numbers.
In the uprising that began in fall of 2000, 140 Palestinians were killed before a single Israeli was killed in Israel; 82 Palestinian children were killed before a single Israeli child was killed.
Palestinian resistance groups only began launching their mostly small, home-made rockets after many years of Israeli invasions.
The recent truce was broken by Israel on Nov. 4 with the killing of 6 Gazans, at which time Palestinian rocket fire resumed.
To date Palestinian rockets have killed, in total, approximately 20 people.
Palestinians are indigenous to the land; Israel was created in Palestine 60 years ago through the violent expulsion of over 750,000 Christians and Muslims in a colonial enterprise to create a Jewish state.»
If Americans Knew

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Israel asesino

«La sigla ONU, todo el mundo lo sabe, significa Organización de Naciones Unidas, es decir, a la luz de la realidad, nada o muy poco. Que lo digan los palestinos de Gaza a quienes se les están agotando los alimentos, o se les han agotado ya, porque así lo ha impuesto el bloqueo israelí, decidido, por lo vistos, a condenar al hambre a las 750 mil personas registradas allí como refugiados. Ni pan tiene ya, la harina se ha acabado, y el aceite, las lentejas y el azúcar van por el mismo camino. Desde el día 9 de diciembre los camiones de la agencia de Naciones Unidas, cargados de alimentos, aguardan a que el ejército israelí les permita la entrada en la faja de Gaza, una autorización una vez más negada o que será pospuesta hasta la última desesperación y la última exasperación de los palestinos hambrientos. ¿Naciones Unidas? ¿Unidas? Contando con la complicidad o la cobardía internacional, Israel se ríe de recomendaciones, decisiones y protestas, hace lo que viene en gana, cuando le viene en gana y como le viene en gana. Ha llegado hasta el punto de impedir la entrada de libros e instrumentos musicales como si se tratase de productos que iban a poner en riesgo la seguridad de Israel. Si el ridículo matara no quedaría de pie ni un solo político o un solo soldado israelí, esos especialistas en crueldad, esos doctorados en desprecio que miran el mundo desde lo alto de la insolencia que es la base de su educación. Comprendemos mejor a su dios bíblico cuando conocemos a sus seguidores. Jehová, o Yahvé, o como se le diga, es un dios rencoroso y feroz que los israelíes mantienen permanentemente actualizado.»
José Saramago (Premio Nobel)