SÊ BEM-VINDO ! SÊ BEM-VINDA ! YOU ARE WELCOME !

sexta-feira, 31 de maio de 2013

De 2009 a 2013


São bons amigos os habitantes dos Jardins da Parede! Continuam a contemplar este quadro mesmo depois de os tons cor-de-rosa se terem desvanecido (o que, aliás, é uma característica própria desta cor: a sua menor longevidade).

Esta pintura foi realizada em 2009, na noite de 10 de maio e fotografada à luz do dia a 6 de junho do mesmo ano. Volvidos 4 anos e graças à simpatia dos moradores do bairro, vai-se mantendo. 

Obrigado! Abraços!!! :)

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Austeridade é EVITÁVEL


«Esta semana, (...), dois economistas recorreram à metáfora da ressaca para explicar aos portugueses que a crise é o resultado de uma bebedeira de crédito durante mais de uma década. (...) nas palavras de um deles, "nunca ouvi dizer que um problema de álcool se cura com mais álcool". Infelizmente, os jornalistas também parecem não perceber que se trata de uma retórica neoliberal, bem conhecida, que visa instalar a sensação de inevitabilidade da política de austeridade na zona euro.

Esta política funda-se nas teorias económicas que integram a ideologia neoliberal (neoclássicos, novos clássicos), as mesmas que caucionaram as políticas de desregulamentação da finança e levaram às crises dos últimos 30 anos. A crise da zona euro, com uma natureza institucional específica, é também um produto da globalização financeira e da financeirização das economias europeias, de que resultou um sistema bancário cuja estabilidade já não pode ser garantida ao nível nacional. As crises bancárias da Irlanda, Espanha e Chipre são fruto deste processo de integração financeira. Como mostra Paul De Grauwe ("Fighting the wrong enemy"), o excessivo crescimento da procura interna nos países da periferia (construção, serviços, importações), após a criação da moeda única, foi causado pelo grande afluxo de dinheiro vindo dos países excedentários, sem esquecer a grande valorização do euro que tornou ainda mais baratas as importações dos países de baixos salários. "Grande parte do financiamento desta especulação insustentável proveio dos países 'virtuosos' através dos seus excedentes na balança de transacções correntes. Estes desequilíbrios [externos] sempre ocorrerão mesmo que todos os países procurem manter o orçamento equilibrado. Portanto, tudo indica que a proposta alemã de instituir a regra do orçamento equilibrado constitui uma grande operação de maquilhagem da sua própria responsabilidade na criação dos desequilíbrios dentro da zona euro."

(...)

era Keynes que tinha razão quando defendeu o controlo apertado da finança e maiores défices para relançar a procura.»

Jorge Bateira

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Promessa de lugar


«Própria da arte, a liberdade é uma zona de acidentes: viajar de modo liso é um devir incerto e difícil. Assim, pelos acontecimentos que a arte faz brotar, o domínio do espaço liso infiltra-se na urdidura estriada do espaço urbano. Possibilidade para a cidade em instalação, promessa de lugar, cidade em via de nascer.»

Renata Moreira Marquez (arquiteta)


terça-feira, 28 de maio de 2013

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Simply Being


Sem perguntas para fazer
Sem respostas por encontrar
Simplesmente encontrar-se no meio dO que É do modo que É
Sendo

Answering no question
Asking nothing to answer
Finding oneself between what Is
Simply being

sábado, 25 de maio de 2013

Esquizo


«Esquizo são as primeiras linhas ou traços que se fazem com a pena, ou com o carvão, dado com grande mestria e depressa, os quaes traços comprendem a idea e invenção do que queremos fazer, e ordenão o desenho, mas são linhas imperfeitas e endeterminadas, nas quaes se busca e acha o desenho e aquilo que é nossa tenção fazermos.»

Francisco de Holanda (in Da Pintura Antiga, 1548)

sexta-feira, 24 de maio de 2013

To Understand or Not To Understand


«I do not have much patience with a thing of beauty that must be explained to be understood. If it does need additional interpretation by someone other than the creator, then I question whether it has fulfilled its purpose.»

Charles Chaplin


quinta-feira, 23 de maio de 2013

Answering No Question


Há quem procure sentido na permanência.
Há quem procure sentido na efemeridade.
Há quem não procure.
Há quem encontre.

There are people who search for the eternal order.
There are people who search for the ephemeral beauty.
There are people who search for nothing.
There are people who find.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Brasil hexacampeão


O próximo campeonato mundial de futebol (copa do mundo) vai desenrolar-se em 2014 em 12 estádios brasileiros. A pouco menos de 400 dias para o seu início, é grande a esperança que este povo tem na conquista da 6ª copa por parte da sua seleção.

terça-feira, 21 de maio de 2013

Radical Egalitarianism Thesis


«Radical Egalitarianism thesis: Human flourishing would be broadly enhanced by a radically egalitarian distribution of the material conditions of life. This thesis is captured by the classical distributional slogan advocated by Marx, "To each according to need, from each according to ability" and by the ideal of a "classless" society. This is the way material resources are distributed within egalitarian families: children with greater needs receive more resources, and everyone is expected to contribute as best they can to the tasks needed by the family. This is also the way books are distributed in public libraries: you check out what you need, not what you can afford. The radical egalitarianism of the Marxist tradition affirms that human flourishing in general would be enhanced if these principles could be generalized to the society as a whole.»

Erik Olin Wright

domingo, 19 de maio de 2013

Petrobrás num Brasil grandioso e soberano


Enquanto em Portugal nós privatizamos a Galp e outras empresas nacionais estratégicas, o Brasil soberano nunca abriu mão da Petrobrás. 

Pioneira em técnicas de engenharia capazes de extrair petróleo em zonas abissais do território marítimo, desde 2008 a Petrobrás já produziu mais de 100 milhões de barris a 7 mil metros de profundidade. São 300 mil barris de petróleo por dia que até 2017 alcançarão o espantoso número de 1 milhão! 

Paralelamente não deixa de procurar alternativas mais responsáveis do ponto de vista ambiental, onde a emissão de gases geradores do efeito-estufa seja reduzida. Neste sentido a Petrobrás investe autonomamente no aprimoramento de tecnologias com o intuito audaz de garantir a liderança mundial na produção dos biocombustíveis. 

Enquanto Portugal tristemente põe-se de joelhos na cena internacional, abdicando da soberania em domínios social e economicamente estratégicos, os nossos irmãos deste lado do Atlântico demonstram que já não têm medo de resistir ao saque das suas riquezas que, mesmo após a independência da metrópole em 1822, continuou a existir por parte de potências estrangeiras. A América latina finalmente põe-se de pé! 

E nós? Quando é que vamos correr com este governo ultraliberal e deixar de votar sempre nos mesmos PS, PSD e CDS-PP, partidos bafientos povoados por chacais e líderes políticos corruptos que VENDEM (em seu próprio benefício) O SANGUE DO POVO PORTUGUÊS! Quando é que assumimos outra atitude política, polémica, corajosa?

sábado, 18 de maio de 2013

Solidariedade entre gerações



«O governo justifica os cortes nas pensões com a sua pretensa insustentabilidade pela demografia, quando na realidade a verdadeira ameaça ao sistema reside no aumento do desemprego gerado por uma política económica que, submissa à globalização sem freio, há muito tempo abdicou do objectivo de pleno emprego, um dos pilares do Estado social. Neste contexto, o debate público foi sendo cada vez mais formatado pela lógica neoliberal, individualista – o direito aos meus descontos –, uma lógica que alguns críticos dos cortes nas pensões já assimilaram ao invocar um imaginário direito de propriedade em vez de invocarem a responsabilidade entre gerações que funda uma sociedade decente. Assim se legitima uma futura reconfiguração do sistema segundo uma lógica de poupança-reforma em que a pensão se torna uma variável de ajustamento à conjuntura económica. Entretanto, generosamente empenhadas na defesa do Estado social, as esquerdas quase deixaram cair o conceito de pensão como o direito a um nível de vida próximo daquele que os activos usufruem.»

Jorge Bateira

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Drunk


«Oh, I’m in no condition to drive. Wait a minute. I don’t have to listen to myself. I’m drunk.»

Homer Simpson (character in "The Simpsons")

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Debuxo com estilete


«(...) o Debuxo interno, que he o conceito formado em o entendimento, que não he materia nem corpo, nem accidente de algua sustancia, senão  huam forma ou Idèa, ordem, regra, termo, e objecto do entendimento em que se considera primeiro o ser representativo. Os actos exteriores são indices dos interiores; e sendo estes livres em a especulação, não ficão sem liberdade em a pratica: que as obras com q se explicão os conceitos, não perdem a liberdade q fiserão em o entendimento.»

Felix da Costa Meesen (in A Antiguidade da Arte da Pintura, 1696)

terça-feira, 14 de maio de 2013

Novos e esvoaçantes



Estes são os mais recentes cartazes que voarão de regresso a Portugal.

These are the new posters that are going to cross the ocean back to Portugal.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

América Latina: Rebelião e Felicidade Social


«a expressão "continente do labor" associada à América Latina serve para mostrar que fomos "concebidos" desde o início da colonização e da montagem do sistema de produção colonial como o continente da exploração. Por isso que a América Latina é, ainda hoje, o continente da superexploração do trabalho. Mas esse continente e seus povos estão dando sinais de que não aceitam mais esses saques, esse vilipêndio, essa superexploração intensificada do trabalho. Somos o continente do massacre, mas também da rebelião; do saque, mas da luta; da escravidão, mas que luta pela felicidade social; somos o continente da exploração, mas também da revolução.»

Ricardo Antunes (sociólogo)

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Agitprop Poster by El St


«Street art has survived and proliferated in the face of police crackdowns. It has adopted the propagative mechanisms of print and advertising culture to remain elusive, widespread, and relevant, all at the same time.»

Pitchaya Sudbanthad

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Quanto maior o número de pobres, maior o número de prémios


«Os pobrezinhos

- Batem à porta. Meu filho, vai ver quem é.
- É um pobre, minha mãe, um pobrezinho a pedir esmola.
A mãe veio logo com um prato de sopa e deu-o ao pobre. Depois, voltou para a sala de costura e deixou o filho a fazer companhia ao mendigo. Este, quando acabou de comer, disse por despedida:
- Deus faça bem a quem bem faz! 
O menino ficou comovido: - Que pena tive do pobrezinho! 
- E é caso para isso, respondeu a mãe. Os pobres são nossos irmãos. Devemos fazer-lhes todo o bem que pudermos. Jesus ensinou que até um copo de água, dado aos pobres por caridade, terá grande prémio no céu.»

in O livro da primeira classe, Editora Educação Nacional, 1958.


quarta-feira, 8 de maio de 2013

My Art Is Defined by the People


«My art is defined by the people I meet and interpreting them, it's about the human form and the environment that I live in.»

Asbestos (street artist)

terça-feira, 7 de maio de 2013

New Flying Posters




As janelas tiveram de ser fechadas enquanto a tinta ainda secava, porque os cartazes mais recentes ameaçavam voar em direção ao céu. O seu lugar é mais terreno, brevemente colar-se-ão às paredes do teu bairro ;)

These posters are spreading their wings, ready to fly over the city and stick to a wall in your neighbourhood.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Dalaiama's Logo


«A logo for street artists is very much akin to a traditional writer's tag. In examining post-graffiti art, I understand logos as evolutions of signatures from letters to characters or abstract designs that function as icons, which either convey an idea, represent an artist, or both. In the world of corporate advertising, logos are symbols that represent a brand to the consumer or advocate a vision. Illegal street logos are materially diverse in that they can be spray-painted, postered, stickered, stenciled, or drawn and are visually flexible since an artist's logo, although recognizably theirs, can vary with each execution. While to an extent graffiti logos "advertise" the artist, ultimately the goal is not to sell a product, but rather to forge a space in the cityscape that questions the function of public space.»

Anna Waclawek

domingo, 5 de maio de 2013

A densidade das texturas






«É inegável que estamos assistindo ao advento de uma onda gigante. Um processo radical de desestabilização das grandes narrativas e dos grandes divisores culturais da modernidade. Um fenômeno batizado pelos teóricos da cultura como a culturalização do espaço da cidade. Ou seja, a propagação e a hibridização das formas culturais na nova densidade da textura urbana.»

Heloísa Buarque de Hollanda

sábado, 4 de maio de 2013

sexta-feira, 3 de maio de 2013

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Like an Event


«I wanted to make things that were valueless, because they couldn’t belong to any one person, and in that way they would belong to everyone. I liked the idea of things that weren’t going to stick around and that were like an event more than an object.»

Swoon

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Desempregados e precários


«Repare, temos números reais de 1 400 000 desempregados, a maioria dos quais com baixa escolaridade e com mais de 45 anos. Sabemos que há 1 300 000 licenciados. E sabemos que sensivelmente 45% a 50% do total da nossa força de trabalho é precária. (...)

Nas manifestações tem estado uma franja destes precários (...) Creio, porém, que tem vindo dos precários mais formados o mote político dos protestos; parece-me que foi este sector quem primeiro saiu às ruas em protesto. São eles que as organizam e mobilizam nas redes sociais e movimentos, ao ponto de serem uma fonte de pressão sobre as centrais sindicais. Aqui e em Espanha isso é claro: as centrais sindicais foram obrigadas a chamar greves gerais perante as mobilizações massivas chamadas nas redes e a própria CGTP acabou por pôr fim à tradição de não convocar manifestações em dias de greve geral.

Esta mão-de-obra é, e esta é uma novidade histórica, menos dirigida pelos sindicatos e, em geral, mais descrente no regime democrático-representativo, a quem associam a sua proletarização. (...) Mas ao rejeitarem a proletarização recusaram também a história do movimento operário, nomeadamente os seus modelos organizativos (organização, certo grau de centralismo, autofinanciamento), o que talvez seja o seu calcanhar de Aquiles. Porém, paradoxalmente admiram os mineiros espanhóis ou os estivadores portugueses, cuja capacidade de luta advém do radicalismo mas também da capacidade de organização, altamente centralizada até (no caso dos mineiros, usando técnicas aprendidas na clandestinidade).»


Raquel Varela (investigadora social)