SÊ BEM-VINDO ! SÊ BEM-VINDA ! YOU ARE WELCOME !

sábado, 31 de maio de 2014

Still Going BIG

Muita tinta e muito trabalho, e a parede está quase pronta.
Lots of paint and hard work to get the mission accomplished.

sexta-feira, 30 de maio de 2014

quinta-feira, 29 de maio de 2014

New Deal Verde (para uma economia limpa)


"A criação de uma consciência mundial que dê prioridade à reestruturação da economia e das sociedades, de modo a que as actividades humanas possam harmonizar-se com a sustentabilidade ambiental, exige que os cidadãos deixem de ser essencialmente responsabilizados por comportamentos e decisões individuais, como consumidores, e adquiram uma renovada capacidade de influenciar as escolhas políticas que podem garantir essa harmonização.

A actual confluência entre a crise económico-social e a crise ambiental mostra bem a necessidade de os cidadãos participarem na construção de um programa unificado que contrarie a espiral de recessão económica, regressão social e alterações climáticas desastrosas. Esse programa de keynesianismo ecológico, ou «New Deal Verde» (Robert Pollin), assenta em planos públicos de investimento capazes de dinamizar a procura interna e o crescimento económico. Planos que potenciam a máxima criação de emprego justamente por estarem associados a uma «economia limpa»: a que reestrutura os edifícios para lhes melhorar o comportamento térmico e a eficiência energética; a que aposta numa rede inteligente de transportes públicos; a que aposta nas fontes de energia renováveis (eólica, solar e biomassa) reduzindo as emissões de dióxido de carbono. As medidas que podem evitar a catástrofe ambiental são as mesmas que evitam a catástrofe social. Precisa o mundo de mais crise para tomar consciência disso?"

Sandra Monteiro

quarta-feira, 28 de maio de 2014

PS, PSD e CDS: tão ladrão é o que rouba a vinha como aquele que fica à espreita


"[...] o líder do PS, António Seguro, anunciou que 80 eram as medidas do seu programa de governo caso viesse a ganhar futuras eleições legislativas, quer estas se realizassem em 2015, quer elas tivessem lugar agora.

Esclarecedor do que sempre denunciámos em relação ao PS e ao facto deste partido ter assinado o Memorando de Entendimento com a tróica germano-imperialista, conjuntamente com PSD e CDS e, por isso, não ser uma alternativa àqueles partidos traidores, [...] o facto de nenhuma delas contemplar a revogação ou anulação dos efeitos do essencial das medidas terroristas e fascistas que o governo dos serventuários Coelho e Portas foram impondo aos trabalhadores e ao povo português.

Se não, vejamos! Um silêncio ensurdecedor sobre que medidas tomariam para retornar os salários e o trabalho roubados, sobre a revogação do código de trabalho, sobre a anulação dos ruinosos  negócios que levaram à venda de activos e empresas estratégicas, que vão dos CTT à EDP, passando, entre muitos outros, pela actividade seguradora da Caixa Geral de Depósitos.

Como é ensurdecedor o silêncio em torno da TSU ou do IVA em contraste gritante com o acordo que o PS estabeleceu com PSD e CDS sobre a redução do IRC, um imposto que incide sobre os rendimentos do capital.

[...]

Cada vez melhor se entende que a única coisa que o PS tem para oferecer ao povo e a quem trabalha, é a colonização a que Portugal está sujeito, já que defende a manutenção do Tratado Orçamental que sequestra a possibilidade de Portugal decidir sobre os seus destinos e os interesses do povo português. [...] o que ele está a defender, de facto, é que Portugal continue amarrado a uma moeda forte que prejudica a sua frágil e aberta economia e agrava a dívida soberana!"

Luís Júdice

terça-feira, 27 de maio de 2014

EDUCAÇÃO NÃO É MERCADORIA


"Os constrangimentos impostos pela crise sofreram a interpretação de um fanático dos resultados quantitativos [Nuno Crato, ministro da Educação] que, incapaz de ponderar os efeitos das suas políticas, está a produzir sérias disfunções no sistema de ensino, que nos reconduzem à escola de 24 de Abril, aquela que Durão Barroso evocou e celebrou há pouco, no antigo Liceu Camões. Porque ambos nos querem fazer acreditar que o sonho de modernizar o país foi um erro, que estava acima das nossas possibilidades, que devíamos ter continuado pobres e sem ambições, a eles e a todos os que olham a Educação como mercadoria, aos que ainda não tinham nascido em Abril de 74 e hoje destroem Abril com a liberdade que Abril lhes trouxe, importa recordar, serenamente, o que Abril fez: 

Em 1974 existiam apenas cerca de 100 escolas técnicas e liceus, para 40.000 alunos. Em 40 anos de democracia construíram-se mais de 1.000 novas escolas, para mais de milhão e meio de alunos. 

Em 1974 havia apenas 26.000 professores. Desses, apenas 6000 eram profissionalizados. Em 40 anos de democracia formaram-se e profissionalizaram-se milhares de professores. Antes dos predadores que hoje governam, eram 150.000. 

Em 1974 imperava o livro único e 4 anos bastavam. Em 40 anos de democracia chegámos a uma escolaridade obrigatória de 12 anos. 

Em 1974 fechavam-se crianças nos galinheiros e a taxa de cobertura do pré-escolar era 8%. Em 40 anos de democracia essa taxa ultrapassou os 80%, graças a uma rede de pré-escolar que acolhe hoje cerca de 270.000 crianças. 

Em 1974 a taxa de escolaridade aos 17 anos era 28%. Em 40 anos de democracia passou para 80%. 

Em 1974 a universidade era para uma escassa elite e para homens. Em 40 anos de democracia trouxemos para a universidade cerca de 370.000 portugueses, dos quais mais de metade são mulheres. 

A trave mestra do desenvolvimento da sociedade portuguesa, a Educação, foi liminarmente implodida pelo actual Governo, que rejeitou uma das bandeiras de Abril, a educação para todos. Agora que Abril dobra a esquina dos 40, é urgente que a denominada sociedade civil desperte para o sombrio que mancha a paisagem humana das nossas escolas: preocupantes sinais de violência na relação entre alunos e no seu relacionamento com professores e funcionários; esgotamento físico e psíquico do corpo docente, vergado pelo grotesco burocrático de tarefas inúteis, impostas por políticas despóticas; êxodo precoce dos professores mais experientes; clima de luta insana por uma carreira sem futuro, donde se esvaiu a cooperação e a confiança que cimentava a comunidade humana dos docentes."

Santana Castilho

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Conical Perspective of the Lettering


A horizontalidade de cinco metros de comprimento em perspetiva cónica linear, linhas que poeticamente se vão encontrar no ponto de fuga, o lugar do infinito :)

domingo, 25 de maio de 2014

Elegem-se as mesmas políticas neoliberais mas os rolos estão lavados


Domingo de eleições. 

Um dia de sol, mas ventoso e fresco para quem vive junto ao mar. 

O PS obteve uma vitória eleitoral minúscula. Ainda bem. O governo PSD + CDS-PP, abaixo dos 30%, desmorona novamente e só por descaramento e oportunismo ganancioso não se demite (com a bênção de um péssimo presidente da República Aníbal Cavaco Silva, que ontem, aliás, dia de suposto silêncio reflexivo, abusou de um direito de antena sem custos para si [ou seja, pago por todos nós] para fazer propaganda política a favor deste governo criminoso). O MPT, partido que nunca existiu, passou a quarta força política por ter sido levado ao colo pelo eleito Marinho Pinto. O Bloco de Esquerda, distante do saudoso Miguel Portas, vai-se aguentando, e, se elegeu três deputados há cinco anos, hoje contenta-se apenas com a deputada Marisa Matias (aliás galardoada com o prémio de Deputada do Ano 2011 na área da Saúde). A CDU (PCP + PEV) foi quem venceu uma assinalável subida, confirmando, por esta hora próxima da meia-noite, não apenas os dois deputados de que já dispunha, como elegendo mais um (ou, com sorte, talvez mais dois deputados!). Isto num quadro em que Portugal, relativamente ao mandato cessante, perdeu um representante, baixando de 22 para 21 lugares...

Em suma, um dia propício para passar pelo atelier e serenamente lavar rolos antigos, guardados em baldes de água, ainda sujos de tinta.

sábado, 24 de maio de 2014

Véspera de eleição dos deputados portugueses para o Parlamento Europeu


«A menos que mudemos a direção em que seguimos, chegaremos onde vamos.»

Provérbio chinês

«Unless we change direction, we are likely to end up where we are headed.»

Chinese proverb

sexta-feira, 23 de maio de 2014

VOTAR À ESQUERDA


"O Memorando de Entendimento assinado em 2011 com a Troika [...] serviu para disfarçar de «ajuda financeira externa a um país em dificuldades» um empréstimo bancário muito condicionado a políticas orçamentais de reconfiguração do Estado (amputando as suas dimensões sociais e os serviços públicos) e do trabalho (cortando empregos, direitos e salários, precarizando e forçando tantos desempregados à emigração).

Este programa tipicamente neoliberal, que nem deixou de fora as privatizações de empresas e sectores lucrativos, permitiu ao sistema financeiro internacional transformar uma crise bancária e financeira numa crise de dívidas dos Estados. Mesmo países como Portugal, que antes da crise iniciada em 2008 não tinham grandes problemas de dívida pública, caíram na armadilha. [...]

O programa de ajustamento neoliberal do Memorando [...] não foi uma intervenção limitada no tempo [...]. Os constrangimentos inscritos nos tratados europeus, em particular no Tratado Orçamental, e as intocadas regras institucionais e monetárias, dão a qualquer governo argumentos para manter e agravar durante anos as políticas de austeridade, de ataque ao Estado social e ao trabalho. Se a isto juntarmos o garrote da dívida pública, formatada para ser insustentável e garantir a asfixia permanente, temos todas as condições para que Portugal, crescentemente inserido nos mecanismos financeiros da Europa e da globalização, ambas neoliberais, tenha sido atirado, com ou sem visitas regulares da Troika, para uma trajectória duradoura de endividamento e empobrecimento.

[...]

Se não for agora que a esquerda, que todas as esquerdas, se empenhem em deter este empreendimento criminoso e substituí-lo por políticas que promovam a justiça social, quando será? Quando as regras de saída das crises já nada quiserem com o jogo democrático?"

Sandra Monteiro

quinta-feira, 22 de maio de 2014

New Spray Players In The Game


O reforço da equipa deu-se mesmo agora! Mal entramos no período do defeso e já aconteceram as contratações das latas mais habilidosas. Estas novas jogadoras, com o seu virtuosismo, marcarão inúmeros golos em campos coloridos. 

Apenas após o Mundial de Futebol deverão ocorrer as próximas aquisições. Nessa altura, prevêem-se muitas tintas verdes e vermelhas para celebrar as conquistas da nossa seleção! Yeeeeeah!!!

Um abraço especial deve ser entregue ao Ivan da Dedicated que, não obstante a azáfama estafante da preparação de mais um Writers Delight a acontecer já no próximo fim-de-semana, encontrou tempo para atender, com a máxima gentileza e eficiência, mais esta encomenda :D

Agora que venham as paredes! Alemanha, EUA e Gana estão na mira ;) LOL Abraços Amigos!

terça-feira, 20 de maio de 2014

Melting Poster

Em semana de eleições para o Parlamento Europeu, aproveitamos o serão chuvoso para produzir mais um cartaz ;)

On rainy days, we'd better stay at the atelier working on a new European Union poster ;)

segunda-feira, 19 de maio de 2014

sábado, 17 de maio de 2014

A falsa saída: governo corrupto de farsantes e aldrabões


"Estamos perante uma farsa limpa, uma realidade suja e uma saída que, nestes moldes, simplesmente não existe. A farsa, eficazmente montada por responsáveis políticos preocupados com as eleições de 25 de Maio para o Parlamento Europeu e reproduzida sem qualquer exigência crítica pela generalidade dos meios de comunicação, está a tornar-se intoxicação.

[...]


A celebração da «saída limpa» não é, portanto, nem «saída» nem «limpa». [...]


[...]


[...] a realidade de quem vive do seu trabalho será trabalhar mais e receber menos; a de quem cai na precariedade será a constante perda de direitos; a de quem está desempregado será a emigração ou a eternização dessa condição (com subsídios reduzidos ou sem qualquer protecção social, como já acontece a 445 mil dos 812 mil desempregados); a de quem se reforma será a de pensões que deterioram muito o seu nível de vida. Ao lado da pobreza e da desigualdade, a riqueza continuará a acumular-se entre os beneficiários da austeridade.


[...] Por muito que se tente manipular a realidade, a tragédia, quando se instala, é sempre suja."


Sandra Monteiro

sexta-feira, 16 de maio de 2014

IEFP - Cascais


Por incrível que pareça, este autocolante permanece exatamente onde foi colocado há mais de SETE ANOS! Encontra-se precisamente à entrada do Centro de Emprego de Cascais. Com certeza terá já sido visto por milhares de pessoas e, por razões desconhecidas, nunca foi arrancado. Protegido da chuva, mantém-se relativamente bem conservado.

terça-feira, 13 de maio de 2014

União Europeia financia criminosos na Ucrânia


"400 mercenários, da organização criminosa de contratação de assassinos profissionais Blackwater, já estão na Ucrânia, pagos pela NATO e pela União Europeia, para apoiarem os crimes da Junta Fascista-Nazi de Kiev.

Estes 400 criminosos, que são assassinos profissionais, semelhantes aos da Máfia da Sicília, são pagos pela NATO e pela União Europeia."

José Freitas

segunda-feira, 12 de maio de 2014

The Power of the Textures








Lindo ver de perto esta parede! Como tantas outras pela cidade, uma expressividade a recordar-nos que as ruas são organismos vivos. 
É preciso estar atento, aprender a comunicar com os muros, saber ouvir no silêncio a pele do cimento respirar.

domingo, 11 de maio de 2014

Rolos em cabos de extensão


Quem já pintou com rolos de tinta, sabe que ao fim de pouco tempo os pulsos ressentem-se. Dependendo da força necessária empregue (muro liso ou rugoso, tinta espessa ou mais aguada, qualidade do rolo, etc.), da duração do trabalho e da dimensão da parede, a dor resultante pode prolongar-se durante dias!

Recomenda-se, SEMPRE, o recurso a um cabo de extensão. Os mais curtos (50 ou 60 cm de comprimento), fabricados para o efeito, podem custar à volta de 5€. Mas uma substituição sem custos pode ser assegurada com um cabo velho de vassoura inutilizada. Garanta-se, neste caso, que o rolo fique bem fixo, podendo-se recorrer a várias voltas de fita adesiva larga, ou, dependendo da situação, três ou quatro pregos bem martelados.

O prolongamento do alcance do rolo também garante o acesso a paredes mais altas. No entanto, a grande vantagem é que o esforço concentrado em um único pulso, passa a diluir-se ao longo de dois braços inteiros. Sem cansaço, pinta-se durante mais tempo e até mais depressa.

sábado, 10 de maio de 2014

Petição contra a cimeira da troika a 25 de Maio


«Está marcado para dia 25 de Maio, dia das eleições para o Parlamento Europeu, o início de um fórum do Banco Central Europeu, em Lisboa, com a presença dos presidentes do FMI, BCE e Comissão Europeia – precisamente os organismos internacionais que constituem a troika.
A realização desta cimeira, com estes participantes e no dia das eleições, contrasta e viola os princípios de isenção, imparcialidade e neutralidade a que a lei eleitoral obriga todas as instituições e tem contornos de intromissão na vida política portuguesa que beliscam os valores da soberania e dignidade nacionais.
Os signatários recusam qualquer tentativa de ingerência na escolha livre e democrática dos portugueses e, em nome do respeito pela lei e pela democracia eleitoral, reclamam das autoridades portuguesas, a saber, Comissão Nacional de Eleições, Governo e Presidente da República, que não autorizem a realização, em Lisboa e no dia 25 de Maio, do fórum do BCE.»

A petição, que será enviada ao Presidente da República, ao Primeiro-ministro, ao Presidente da Comissão Nacional de Eleições, pode ser subscrita aqui. Assinem e divulguem.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

STOP!


Mundo acelerado este que nós inventamos!...
Onde vamos com tanta pressa se na verdade nós já lá chegamos?

Why is the rush? Where are we going so desperately fast? In such a hurry, we'd better remember that we already are what we expect to become. Right here, right now.

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Herói de papel


Sabemos que há cartazes tão resistentes às intempéries que duram bastante, talvez um ano ou pouco mais. Este, colado há dois anos e meio, ainda se mantinha fulgurante após seis meses. Porém foi com incontida surpresa que esta manhã deparamos com os resquícios, ainda reconhecíveis, deste verdadeiro herói de papel!

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Antecipar desenho e medidas


São frequentes, longas e árduas as jornadas de trabalho para produzir novos cartazes. É comum termos de levar em conta as dimensões do papel, de modo que pequenos esboços à escala de 1:10 podem ser bastantes úteis.

terça-feira, 6 de maio de 2014

A natureza supera a tecnologia

http://goo.gl/maps/4NkA4

Outra vez, o Google Street View mostra-nos uma visão desatualizada. 
Deste spot em particular, já chegou a ser exibida aqui uma imagem bastante mais poética!

Again, we found another ancient picture in Google Street View. 
We have even published here a more recent (and poetic) photograph of this spot two years ago!

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Brush versus Spray


"I have often spent hours with a brush and pot of paint, painting an illegal wall, and if anyone does say anything, it's positive. But the moment I shake up the can of spray, all heads turn and the public gets nasty: What's that? Is that graffiti? Do you have permission?"

Eine (british street artist)

domingo, 4 de maio de 2014

A incontornável luta de classes #2


"Freeman and slave, patrician and plebeian, lord and serf, guildmaster and journeyman, in a word, oppressor and oppressed, stood in constant opposition to one another, carried on an uninterrupted, now hidden, now open fight, that each time ended, either in the revolutionary reconstitution of society at large, or in the common ruin of the contending classes.” 

Karl Marx

sábado, 3 de maio de 2014

Com MASK, PIMS e POKER no Google Street View

http://goo.gl/maps/M4WlE

Antigamente a malta pintava e não postava na net. Nem máquinas digitais havia. Nem telemóveis com câmeras... :p Agora é tudo mais fácil nesse capítulo. E ainda bem :)

Quando este blog surgiu, andou-se à procura de fotos, e spots houve que tiveram de ser revisitados a ver se ainda lá havia as marcas de outrora. Foi assim que recolhemos imagens da primeira vez que esta varanda foi pintada. O acesso foi difícil, a exigir esforços acrobáticos! Foi em dupla que lá subimos para deixar, a preto e vermelho, a marca Dalaiama.

Mais tarde, a parede foi partilhada com os GIGANTES da linha PIMS, POKER e MASK (DS crew rocks!). Também publicámos neste blog um registo desse momento.

Por fim, hoje descobrimos no Google Street View uma fotografia intermédia, retratando o intervalo entre a configuração mais antiga e a mais recente. Uma fotografia desatualizada, portanto, mas sempre interessante. Exibimo-la hoje :) Realmente, a internet é um fascínio! ehehe

sexta-feira, 2 de maio de 2014

2007-2014 _ Street View São João

http://goo.gl/maps/Pva2q

Já foi há muitos anos que os desenhos a tinta estrearam-se nesta parede. Tivemos a satisfação de estar lá nesse momento. O Google Street View, já várias vezes citado neste blog, captou em 2010 a aparência da fachada principal que ainda hoje se mantém praticamente inalterada. A parte desatualizada desta fotografia é o muro junto à estrada que entretanto já recebeu intervenções corajosas de bons Artistas, dentre os quais destacamos o amigo SEGA, cujo lettering imaginativo pode ser encontrado em todos os cantos da cidade.

quinta-feira, 1 de maio de 2014

A incontornável luta de classes


"A história de toda a sociedade até aos nossos dias nada mais é do que a história da luta de classes."

"The history of all hitherto existing society is the history of class struggles."

Karl Marx